19 maio 2010

Especialista diz que Washington entrou em um “jogo arriscado”

Flyn Leverett, diretor do projeto Irã da New America Foundation, ex-responsável pelo Oriente Médio no Conselho de Segurança Nacional dos EUA, ex-analista da CIA e professor da Universidade da Pensilvânia, concedeu uma entrevista a O Globo de hoje.  Leverett acredita que Washington entrou em um “jogo arriscado” e avalia o acordo construído pelo Brasil como altamente positivo. Abaixo um trecho:
Como o senhor avalia o acordo costurado por Brasil e Turquia com o governo iraniano?
LEVERETT: Brasil e Turquia mostraram de forma polida, mas clara, que Washington não tem controle unilateral na discussão do programa nuclear iraniano. Isso põe Obama numa posição difícil.
A secretária Hillary Clinton insiste em sanções econômicas…
LEVERETT: Essa abordagem vai se voltar contra o governo. A China pode concordar com o esboço de resolução, mas não acredito que vá concordar com que ela seja rapidamente adotada. Os chineses dirão que é preciso dar uma chance a esse acordo. A secretária Clinton está apostando num jogo bastante arriscado. (... ) está sob pressão, porque é como se o governo Obama tivesse perdido o controle da situação e que Brasil e Turquia passaram a liderar a via diplomática.
Para os EUA, o acordo é insuficiente e não responde questões da comunidade internacional.
LEVERETT: O que governo americano está dizendo é um tanto desonesto. (...) É uma mudança de posição que pode ser vista como sinal de desespero. Os EUA nunca tiveram controle unilateral na discussão das sanções. O governo insistiu em mostrar mais controle do que realmente tem, e está pagando um preço por isso.

Nenhum comentário: