01 junho 2010

Piloto de parabólica

Via blog do Zé Carlos, encontrei essa pérola da comunicação na Amazônia. O barco Cidade de Oriximiná, que singra os rios Amazonas e Trombetas, no Pará, oferece a seus passageiros o serviço da televisão. Para isso, conta com uma parabólica. A programação inclui o Jornal Nacional e a novela das 9, unicamente. Porém, em pleno Trombetas, a antena sai de sintonia a todo momento. A solução é magnífica: para compensar a oscilação do barco, um tripulante fica, durante os dois programas, pilotando a antena e deixando a imagem boa para os telespectadores que lotam o convés.


Um comentário:

Lara Lages disse...

É, professor, eu, que nasci em Porto Trombetas, sei bem o que é isso!
Anos e anos no trajeto Santarém-Trombetas de barco, curtindo a programação da TV que saia do ar de 3 em 3 minutos...na minha época não tinha esse super tripulante pra operar a parabólica...rsss