11 julho 2010

Ao polvo profeta, a gratidão espanhola

Um comentário:

Anônimo disse...

Tá lindo isso! Também quero ser espanhola!
Luíza.