21 julho 2010

Brasil perde 18 posições no ranking de investimentos em C&T. Ao mesmo tempo, Europa anuncia aumento de 12% no orçamento do setor, para superar a crise

Um estudo da Roland Berger Strategy Consultants concluiu que o Brasil perdeu várias posições no ranking global de inovação e que precisa ampliar bastante os investimentos nesse segmento. O trabalho é resultado de um trabalho de seis meses de pesquisa. O país caiu da 50ª para a 68ª posição no ranking mundial de inovação de 2010. Entre os países da América Latina, foi apenas o 7º colocado, comparado à 3ª colocação no último ano. Os investimentos em inovação no País representam 0,82% do Produto Interno Bruto (PIB), enquanto o Japão tem 3,40% do PIB e a China, 1,42%. Na opinião dos coordenadores do estudo para estimular as inovações, é necessário que haja esforços conjuntos entre os setores público e privado.
Já a Europa terá investimento recorde em pesquisa e inovação. A Comissão Europeia anuncia 6,4 bilhões de euros para o setor, em 2011. Os recursos serão destinados principalmente para as áreas de mudanças climáticas, energia, segurança alimentar, saúde e envelhecimento da população. O montante é o maior já investido pela Comunidade Europeia.
Espera-se que esse investimento gere 165 mil empregos nos próximos14 meses.
O investimento em pesquisa e inovação é a única maneira duradoura de renovar ou impulsionar economias e de garantir um crescimento sustentável e socialmente eqüitativo. Além de gerar empregos e estimular a renovação de plantas industriais, a C&T permite que os cidadãos beneficiem de produtos e de serviços novos e melhores.
A maior parte dos recursos serão destinados aos cientistas. Dos 6,4 bilhões de euros, 1,3 bilhão irá para o desenvolvimento de pesquisas. Outros 772 milhões de euros serão transformados em bolsas de estudo para sete mil pesquisadores.
O segundo maior montante, 1,2 bilhão de euros, ficará para o desenvolvimento de tecnologias de informação e comunicação.  As pequenas e médias empresas também serão beneficiadas. Elas receberão 800 milhões de euros para investir em inovação.
O valor do anúncio representa aumenta de 12% em relação ao orçamento anunciado para o ano fiscal de 2010.

Nenhum comentário: