12 julho 2010

Memorial do acaso 1: Santiago de Compostela



Nessa igreja, ponto final da peregrinação de tantos e lugar particularmente abstrato, meu bisavô materno, Marcelino Esperante-Antelo, foi coroinha e caminhou para o sacerdócio. Porém, desmotivou-lhe alguma razão secreta e, juntamente com o irmão, Gabriel, imigrou para Belém, no final do século XIX, para fugir à grande fome que assolava a Galízia. Por aqui era, então, a “Era da Borracha”, com suas promessas de riqueza... Restaram em Santiago, como também em Vigo e na minúscula aldeia de Esperantes, suas catorze irmãs, todas chamadas Maria: Maria de la Concepción, de los Augúrios, de la Natividad, del Amparo, de la Ressurección, da la Encarnación, del Sangre del Cristo Muerto, de la Soledad... e por aí afora. A avó deles era holandesa e fugiu de Leyden para a Galízia, também, por causa de outra grande fome, a de 1840, causada pela quase submersão do país inteiro. Sua gente era católica do Brabante e procurara a Galízia por motivos religiosos que ainda hoje inspiram. Minha tia-bisavó, Augúrios, descreveu a grande-fome da Galízia de 1892, numa carta escrita a minha avó, como um tempo em que só se comia batatas com cascas de árvore. Quando meu bisavô chegou a Belém, casou-se com uma moça cuja família também havia fugido de outra grande fome, a de 1882, no Rio Grande do Norte – um lugar onde já nem havia saúvas para todos que as quisessem comer. Uma escolha motivada por uma inspiração mística que foi a mesma de milhares de nordestinos: Belém, cidade de águas e rica... Estranhos caminhos, todos esses, mesmo porque sempre penso na catedral de Santiago com um lugar de chegada, e nunca de partida. 
Como a Espanha foi ontem campeã do mundo, derrotando a pobre Holanda, inicio evocando-a esta série.

4 comentários:

Raul Reis disse...

Ótimo post, Fabio. Estive em Santiago duas vezes, e tenho recordações incríveis da cidade, da catedral e de toda a Galicia. Vc esta em Santiago?

blog do bacana-marcelo marques disse...

Saudade de falar com você Fábio.
Fui 3 vezes para Santiago, e me sinto fazendo parte da história andando por lá.
Adoro a Espanha, e Santiago em particular.
abraços
Marcelo Marques

Fabio Fonseca de Castro disse...

Caro Raul,
Estou em Belém, mas quisera estar lá. Essa foto tem alguns anos.

Fabio Fonseca de Castro disse...

Fala Marcelo,
Vamos marcar um dia desses, para um vinho, quem sabe, e botar o papo em dia. Abraço grande.