02 julho 2010

Sobre o DEM 1

Interessante reflexão do Luis Nassif sobre o DEM, a partir de conversas com outros jornalistas: em função de sua lógica pragmática, o DEM não sobrevive longe do poder. Na conjuntura da derrocada da candidatura Serra, o DEM poderia pensar estrategicamente e se preservar para vir a ocupar o espaço vacante de centro-direita num espectro eleitoral pós-PSDB. Porém, não fez isso. Preferiu se atrelar a uma candidatura certamente derrotada, a de Serra, e condenar seu próprio futuro. E se o fez foi por pura conveniência eleitoral de César Maia, que, indicando Índio da Costa como vice de Serra, afastou um candidato a deputado que poderia dividir o eleitorado com seu filho Rodrigo Maia.

Nenhum comentário: