11 agosto 2010

Comunicação e política 2

Da mesma maneira, é preciso considerar mais responsavelmente a fala da Ana Júlia, sobre a comunicação governamental, feita na revista Carta Capital desta semana. A governadora disse o seguinte:
“Tivemos um grave problema de comunicação durante a gestão. A população não sabe tudo o que foi feito, mas teremos oito minutos no horário eleitoral para mostrar”.
É preciso, a bem da comunicação séria e responsável, considerar que a fala da governadora não é tão simplória quanto parece; e que, portanto, não diz respeito, exclusivamente, ao genérico “dizer o que foi feito”.
Do contrário, não incluiríamos, aí o seguite: 1. o bloqueio midiático sofrido por seu governo; 2. a falta de agilidade política para resolver determinadas questões antes que elas se tornassem “um problema de comunicação”; 3. a dificuldade congênita em cumprir acordos construídos penosamente; 4. os sistemáticos atrasos na liberação das verbas de publicidade; 5. a presença ausente dos “estrangeiros”; 6. a vaguidão de suas análises, e isso para nem dizer tudo, enfim.

Nenhum comentário: