12 agosto 2010

Paquistão: dilúvio e transumância bíblica, 14 milhões em fuga

Como numa cena saída da Bíblia, centenas de milhares de paquistaneses puseram-se em fuga desabalada ontem diante do avanço das inundações em direção ao sul do país, ao longo do Rio Indo.
Em longas filas a pé, aboletadas em carros e carroças, empoleiradas em caminhões ou resgatadas de helicóptero, as famílias das áreas atingidas procuraram salvar-se — e o pouco que conseguiam carregar de seus pertences — da catástrofe, tachada pelo governo como a maior da História do Paquistão.
As inundações já submergiram cerca de 700 mil hectares de plantações de algodão, arroz, cana de açúcar e milho, fazendo disparar o preço dos alimentos para quem ainda pode comprá-los.
Confrontada com a magnitude da tragédia, as Nações Unidas fizeram um apelo por US$ 460 milhões em ajuda de emergência para socorrer as vítimas, enquanto autoridades locais tentavam reforçar a estrutura de duas barragens que ameaçam romper-se, em Sukkur e Hyderabad, na província de Sindh.
A previsão de mais chuvas para os próximos dias e o alerta para novas inundações no sul do país podem piorar ainda mais a situação. As cheias já afetaram 14 milhões de pessoas, deixaram pelo menos 1.600 mortos e mais de dois milhões de desabrigados. O número de pessoas que dependem de ajuda imediata para sobreviver chega a seis milhões.
Via O Globo.

Nenhum comentário: