11 setembro 2010

Lançado estudo sobre ficção televisiva 2

Os números interessantes do Obitel 2010 são os seguintes: O Brasil ocupa o primeiro lugar na oferta anual de horas de ficção, com 5.351 horas produzidas. Seguem-se o México, com 4.389 horas e Portugal, com 4.075 horas. Esses três países, mais a Argentina, produzem 50% da ficção televisiva em línguas ibéricas.
Também é interessante constatar que a Argentina produz o maior número de títulos de telenovelas, embora não, como se viu, a maior quantidade horária de produção e que a telenovela é o formato predominante.
No que se refere à produção de séries televisivas vence a Espanha, como Portugal em segundo lugar. O telefilme é um formato típico do Chile e que praticamente só existe por lá.
Dos nove países analisados, sete concentram a ficção nacional no horário nobre. O Brasil lidera na audiência transnacional de ficção, tendo produzido 8 dos 10 títulos com maior audiência total. Mas atenção, esse dado é bruto, não proporcionalizado, e, portanto, pesa nele a imensa população do país.
Porém, o Brasil não é mais o maior exportador de ficção televisiva. Perdeu lugar para a Argentina.
Em relação ao eixos narrativo-temático da telenovela, não fugimos da receita amor/ódio, relações femininas, traição, vingança e drama de identidade. Mas a pesquisa detectou uma abertura ao tema diversidade sexual e um aumento de temas políticos e econômicos.

Nenhum comentário: