10 setembro 2010

O que o PNAD mostrou de bom

Um resumo dos avanços que a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 2009 mostrou:
  • Aumento do percentual de empregados com carteira assinada, de 58,8% em 2008 para 59,6% em 2009.
  • Aumento do rendimento mensal real de trabalho de 2,2% entre 2008 e 2009.
  • Ampliação da desconcentração desses rendimentos, medida pelo Índice de Gini, que reduziu-se de 0,521 para 0,518 (quanto mais perto de zero, menos desigual é a distribuição).
  • Ampliação da queda no trabalho infantil. Em 2009, 4,3 milhões de pessoas de 5 a 17 anos trabalhavam, contra 4,5 milhões em 2008 e 5,3 milhões em 2004.
  • Ampliação da escolaridade dos trabalhadores. Em 2009, 43,1% da população ocupada tinham pelo menos o ensino médio completo, contra 41,2% em 2008 e 33,6% em 2004, e os trabalhadores com nível superior completo representavam 11,1% do total, frente a 10,3% em 2008 e 8,1% em 2004.
  • Ampliação do acesso a serviços como abastecimento de água por rede geral (de 42,4 milhões em 2004 para 49,5 milhões em 2009).
  • Ampliação do acesso ao serviço de coleta de lixo (de 43,7 milhões em 2004 para 51,9 milhões em 2009).
  • Ampliação do acesso ao serviço de iluminação elétrica (de 50,0 milhões em 2004 para 57,9 milhões em 2009).
  • Ampliação do acesso à rede coletora de esgoto (de 29,1 milhões em 2004 para 34,6 milhões em 2009).
  • Aumento do número de residências que têm computador (34,7% em 2009), internet (27,4%) e telefone celular (78,5%).
  • Ampliação do acesso à internet, de 31,9 milhões em 2005 para 67,9 milhões em 2009.

Nenhum comentário: