20 outubro 2010

Táticas discursivas para ir a luta nos próximos dias 3

Situação-problema: O sujeito ao seu lado afirma que "a economia foi bem no governo Lula só porque este não mudou a política econômica de FHC". Por isso, ele vai votar em José Serra.

Seu objetivo: Desfazer essa idéia com transparência, ética e usando dados reais. Sim, e dessa maneira convencer o sujeito a votar na Dilma.

O que você tem que fazer, passo a passo:

1. Você sintetiza a política econômica dos tucanos: câmbio flutuante, regime de metas de inflação e superávit primário. Diz que esses três princípios formam um tripé.

2. Se for necessário, explique melhor: câmbio flutante é não fixar, de jeito nenhum, o preço do real em relação ao dólar; regime de metas é administrar os juros, por meio do banco Central, para manter a inflação dentro de um patamar; superávit primário, enfim, é procurar ter bons resultados, nas transações com o exterior, para poder pagar as contas do governo.

3. Aí você lembra que, no governo FHC, o câmbio foi fixo até o fim de 1998 e que, em janeiro de 1999, o dólar, que valia pouco mais de um real, valorizou-se, subitamente, para quatro reais.

4. Então você observa que, se FHC manteve o câmbio fico até esse momento, foi para não dificultar a sua reeleição. Reeleito, deixou rolar, lavou as mãos.

5. Você também observa que isso custou caro para o país – porque tornou a economia dependente do FMI – e lembra como a imprensa apelidou esse joguete do PSDB: “populismo cambial”.

6. Hora de observar que foi só nesse momento, em janeiro de 1998, que FHC adotou o regime de metas cambiais, e que foi levado a isso por pura pressão do FMI.

7. Aí você diz o seguinte: “Ta vendo, o Plano Real não é um coisa só. A gente chama de Plano Real para o conjunto da política econômica do governo FHC, mas ele teve dois momentos bem diferentes e o que determinou isso foi o processo eleitoral e o esforço para FHC se reeleger.

8. Tudo pronto para você avançar. 

8.1 - você vai dizer agora que Lula manteve as taxas de inflação num patamar inferior ao do governo FHC, entre 2003 e 2008.

8.2 – depois, você vai dizer que, no governo Lula, a estagnação econômica, que acompanhou todo o governo FHC, foi substituída por taxas de crescimento econômico sempre altas, e com redução da dívida pública.

9. Se a pessoa cm quem você dialoga for um leitor da revista Exame, ele provavelmente vai rebater, o que você acabou de dizer, com a seguinte frase: “É, mas o preço das commodities no mercado externo teve uma alta que favoreceu esse quadro”.

10. Sem problemas. Responda que o crescimento da economia também foi favorecido pelo crescente acesso ao crédito. Diga que em 2003 Lula criou o “crédito consignado”, destinado ao consumo de massa de pessoas físicas. Diga que isso puxou o crescimento do PIB. Diga também que o BNDES passou a ter um papel importante na concessão de crédito de longo prazo. 

11. Conclua lembrando que os aumentos reais do salário mínimo e os benefícios do Bolsa Família foram decisivos para uma queda da desigualdade social igual não se via há mais de 40 anos.

12. Marque posição: diga que todas essas ações na política econômica brasileira foram uma inovação, em relação à política econômica de FHC. Diga que nada disso estava previsto no Plano Real e que está na hora de dar a César o que é de César.

13. Emoldure, enfaticamente, a seguinte frase: “Tudo isso, junto, possibilitou que 28 milhões de brasileiros entrassem na classe C”.

Dose para elefante:

1. Se a polêmica continuar, evoque a crise econômica mundial. Diga que Lula aumentou os gastos do governo durante a crise e que, fazendo isso, conseguiu conter o ciclo negativo que o mundo atravessava. Diga que essa receita – keynesiana – virou motivo de admiração dos outros países.

2. Diga que Lula mostrou que um país pode crescer preservando direitos trabalhistas. Indague,a seu oponente, o que ele imagina que os tucanos fariam, se estivessem governando.

3. Responda: A agenda dos tucanos sempre foi flexibilizar o vínculo empregatício e diminuir as reservas nacionais. Com isso, o Brasil teria atravessado uma crise de desemprego e o Estado não teria tido condições de nenhuma intervenção econômica.

Um comentário:

Anonymous disse...

Mande esse recado para a Dilma por que o Serra já fez essa comparação varias vezes ela não soube rebater satisfatóriamente.