16 dezembro 2010

Como a bancada paraense votou o aumento de seu próprio salário

A aprovação, ontem, em votações-relâmpago, do projeto que aumenta os salários dos próprios deputados e senadores, do presidente, do vice e dos ministros de Estado para R$ 26,7 mil é um acinte à sociedade brasileira. O impacto desse aumento será de cerca de R$ 1,8 bilhão ao ano nos gastos públicos. Para efeito de comparação: em termos de impacto nos cofres do Tesouro Nacional, esse valor seria suficiente para um aumento de R$ 6 no salário mínimo. O texto vai para promulgação, e o aumento valerá a partir de fevereiro de 2011.

Hoje deputados e senadores ganham R$ 16,5 mil (reajuste de 61,8%), o presidente da República, R$ 11,4 mil (133,9%), o vice e os ministros, R$ 10,7 mil (148,6%). O novo valor é o mesmo dos vencimentos dos ministros do Supremo Tribunal Federal, que serve como teto do funcionalismo público. O último aumento nesses salários havia sido em 2007. Desde então, a inflação acumulada foi de 19,9%.

E o pior ainda está por vir: o aumento vai gerar um efeito cascata sobre as assembléias legislativas estaduais e as câmaras municipais de cidades com mais de 500 mil habitantes, que terão matéria legislada para reivindicar aumento semelhante nos próprios vencimentos.

Todos os deputados federais paraenses que compareceram à votação, votaram a favor do projeto.  De toda a bancada nortista, apenas quatro deputados votaram contra. Foram eles Henrique Afonso (PV do Acre) e três federais de Rondônia: Mauro Nassif (PSB), Eduardo Valverde (PT) e Ernandes Amorim (PTB).

No Senado, apenas três senadores, de todo o país, votaram contra o projeto, dois deles da banca amazônica: Marina Silva (PV do Acre) e José Nery (PSOL do Pará).

Abaixo a relação dos votos da bancada paraense:

Lira Maia (DEM) - Sim
Giovani Queiróz (PDT) - Sim
Ann Pontes (PMDB) - Sim
Asdrubal Bentes (PMBD) - Sim
Bel Mesquita (PMDB) - Sim
Elcione Barbalho (PMDB) - Sim
Wladimir Costa (PMDB) - Sim
Gerson Peres (PP) - Sim
Lúcio Vale (PR) - Sim
Zenaldo Coutinho (PSDB) - Sim
Beto Faro (PT) Sim
Paulo Rocha (PT) Sim
Zé Geraldo (PT) Sim


No Senado:
Flexa Ribeiro (PSDB) - Sim
Mário Couto (PSDB) - Sim
José Nery (PSOL) - Não


Os parlamentares não citados não compareceram à votação.

Nenhum comentário: