05 janeiro 2011

O general opiniático e a primeira bronca dada por Dilma

Uma notícia de valor simbólico: a primeira bronca da presidenta Dilma foi dada a um general. E, mais importante: por causa da sua declaração, absolutamente infeliz, de que os desaparecidos (entenda-se melhor: assassinados) pelo regime militar são “fato histórico” de que não devemos “nos envergonhar”.

Essa imbecilidade foi dita pelo general José Elito, do Gabinete de Segurança Institucional. Dilme telefonou a ele na noite de ontem cobrando explicações. O general opiniático pediu desculpas e botou a culpa na imprensa.

É bom lembrar que, antes de assumir, Dilma se reuniu com as Forças Armadas para dizer que, no seu governo, não haveria "revanchismo", mas também pediu que não houvesse, por parte dos militares, uma "glorificação" do golpe de estado que deram em 64 e, tampouco, obviamente, das mortes que promoveram.

Também cabe lembrar que, no seu discurso de posse, ante-ontem, a ministra Maria do Rosário reafirmou a orientação dada pela presidenta e disse que o Brasil, e mesmo os militares, têm um dever moral com a abertura da Comissão da Verdade.

4 comentários:

Anônimo disse...

Uma coisinha: o desaparecido nao é assassinado. A gente nao sabe. O corpo nao está. O sequestro e desapariçao de pessoas é um fato discursivo que implica, antes que a morte, a supressão do sujeito. Por isso continuamos a utilizar a palavra "desaparecidos".
Bjs dsd Arg. desculpe os erros, esse computador nao tem carateres em portu.

Bordalo disse...

Você leu o artigo do Clovis Rossi de hoje? Ele diz que Dilma deveria ter demitido, sumariamente, esse imbecil.

Laura Campos disse...

Gente, que mico! Isso mostra o quanto o Jobim e as Forças Armadas estão empenhados em obstruir a Comissão da Verdade, um clamor legítimo dos brasileiros. É vergonhoso que, 25 anos depois da redemocratização, o Brasil permaneça como o único país do continente que não apurou a verdade sobre seus desaparecidos.

Fabio Fonseca de Castro disse...

Anônima de 01h50,
Você tem razão, "desaparecido" é a palavra correta. É que as vezes me empolgo...

Bordalo,
Li, até me surpreendi com a contundência dele, mas ele tem razão.

Laura,
Mais uma vez vc tem razão. É uma grande vergonha.