15 fevereiro 2011

Como o Estadão vê o PT

Vejam o seguinte parágrafo, publicado pelo jornal Estado de S. Paulo, bastião conservador brasileiro, sobre os 31 anos do PT:
"Houve muita festa, bolo com velinha e convidados ilustres, mas, se alguém na sala gritasse "fora FMI" ou "o mundo marcha para o socialismo", iria estragar o clima. O PT de meia idade que comemorou 31 anos na quinta-feira, em Brasília, é um senhor comportado - ideologicamente - que ao chegar ao governo trocou, como já fizeram tantos outros partidos-camaradas, as bandeiras da utopia socialista pela lógica da manutenção do poder". 
Algumas considerações e respeito:

  • 31 anos não é meia idade, é juventude...
  • Para um partido com projeto de transformar a sociedade, então, é pré-adolescência.
  • "Senhor de meia idade" é um conceito que mais cabe à elite quatrocentona do Estadão, convenhamos.
  • Convidados ilustres não obscurecem a família, grande e festiva.
  • Quem marcha é militar. Para o PT o mundo caminha, sim, para o socialismo...
  • Não que seja um caminho fácil, mesmo porque há concepções variadas e mesmo opostas de socialismo. O PT não tem uma definição própria e nem mesmo uma definição adotada. Mas a discussão é grande.
  • Idependente disso, em geral se acredita que a funbção do partido não é construir o socialismo, mas sim construir a igualdade social.
  • Converse com um petista sério e verá o seguinte: ele tende a considerar o PT como um projeto tático, cuja função é construir a base social política para um projeto maior, desta vez estratégico. O PT é, portanto, um partido tático, cuja missão histórica é diminuir a divisão interna da sociedade brasileira. A seu tempo, esse partido tende, dialeticamente, a ser substituidpo por um partido que tenha um projeto socialista mais claro.
  • Para chegar ao governo o PT fez um pacto com vocês, seus hipócritas. E paga caro por isso. Bilhões de reais em taxas de juros... É a condição, é a etapa, é o jogo que se tem que fazer para poder ir mais longe, no futuro.
  • "Bandeiras da utopia socialista" é uma forma de classificar o que, outros, compreendem como luta honesta e democrática pela diminuição da exclusão social e política.
  • "Lógica de manutenção de poder" é condição do sistema. Enquanto não houver reforma política - que vocês, hipócritas, não querem fazer - essa lógica, que vocês criaram e abastecem, não vai mudar.

Nenhum comentário: