13 maio 2011

Dia quente em Belém: tudo vai girar em torno da Comissão Externa da Câmara dos Deputados que acompanha o caso Alepa


Hoje é dia de mídia. Estou curioso para ver como a mídia local, sobretudo, mas também a nacional, vão se comportar em relação à bombástica visita que a Comissão Externa da Câmara dos Deputados, encarregada de acompanhar as investigações sobre o desvio de recursos públicos ocorrido na Assembléia Legislativa do Pará (Alepa), faz ao estado e, obviamente, à Assembléia.

Os deputados estaduais, ontem, davam-se de encontro uns aos outros. Pânico puro, beirando o ridículo e com ecos dos contos de Gogól, que, já comentei no blog, relevam, a meu ver, a profundidade provinciana da alma paraense.

O momento mais angustiante foi quando se espalhou a informação de que Mônica Pinto pediu para ser ouvida pela Comissão.

O que não dirá ela? E o que dirá? Provavelmente nada a mais do que tem dito, produzida como uma árvore de natal junina e com um ar de seriedade que apenas torna mais pitoresco o episódio.

Mônica Pinto sabe tomar proveito da midiatização do roubo. E do roubo, obviamente. Sabe tomar proveito, enfim.

Os deputados estaduais, ao que parece, sabem menos. Tomar proveito da mídia, obviamente. A ponto de que, mesmo dentro do PT paraense, houvesse quem fosse contra a instalação da Comissão, porque ela exporia "demais" os doutos poderes da Alepa e a exporia "demais" ao ridículo - leiam-se aos eleitores. 

Ora, o PT já não assinou o pedido de instalação da CPI - feito por Edimilson Rodrigues, do PSOL? Ora, PMDB e PSDB, os mais desgastados com o episódio, não são os grandes inimigos políticos do PT? Ora, a moralidade da gestão pública não é uma bandeira do PT?

Olhem, não simpatizo com esse negócio de transformar a política em espetáculo midiático. Mas preciso reconhecer que há um efeito pedagógico nesse processo. 

E, como dizia, hoje é dia de mídia. A Comissão, presidida pelo deputado federal Cláudio Puty, é composta, ainda, pelos deputados Protógenes Queiroz (PCdoB-SP), Jean Wyllys (Psol-RJ) e Francisco Praciano (PT-AM).

Protógenes e Jean Wyllys são criaturas mega-midiáticas. Puty e Praciano fazem um uso da mídia bem superior à média petista.

Some-se a eles o fato de Mônica Pinto, bem vestida, vir ser ouvida "à pedido". "À pedido", ouviram bem? Some-se o fato de que a militância do PT, do PCdoB e do PSOL vai buscar a Comissão às 11 h, no aeroporto, e em festa. Some-se o fato de que a reunião de trabalho da Comissão vai reunir o Ministério Público Federal, o Ministério Público do Trabalho, a Receita Federal, o Ministério Público do Estado e o Conselho Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil - Seção Pará.

Ah, e não esqueçamos de acrescentar o fato de que a Polícia Federal envolverá a Comissão num ruidoso e ostensivo esquema de proteção especial - porque há os riscos que correm...

Sim, os deputados estaduais, o governo Jatene, as impuras almas da Assembléia e a mídia partidarizada, hoje, terão muitas razões para dores-de-cabeça. 

Nenhum comentário: