16 agosto 2011

O problema da corrupção está na índole dos políticos ou na estrutura da administração pública do país?

A revista Carta Capital pergunta, na sua última edição: o problema da corrupção está na índole dos políticos ou na estrutura da administração pública do país? Valeriano Costa, doutor em sociologia, professor Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e especialista em cultura política, entrevistado pela revista, respondeu que o loteamento de postos no governo para aliados é o núcleo da corrupção. 

Disse ele: “É preciso haver politização nas estruturas governamentais, mas no Brasil não se sabe mais o que é vínculo entre a política e a administração. É preciso haver uma separação mínima entre essas partes e saber até onde pode haver políticos na estrutura”.

Costa afirma que a criação do sistema DAS (Direção e Assessoramento Superior), cargos de natureza especial que podem ser nomeados, eliminaram a clareza de que os postos administrativos deveriam ser concursados. “Há cargos que são puramente burocráticos e não poderiam sofrer influência política. Eles viraram uma espécie de bonificação”.

Por isso, de acordo com Costa, os partidos agem de má fé ao se interessarem pelos cargos do baixo escalão do governo. “Esses locais cuidam da distribuição de recursos e não das decisões. É o filé mignon da administração pública”.

O sociólogo ainda aponta o modelo de administração pública dos EUA como uma opção alternativa ao utilizado no Brasil, afirma que os sistemas de controle desses órgãos não conseguem evitar danos e decreta: o Brasil precisa de uma reforma estrutural na administração pública para eliminar a corrupção.

Concordo plenamente. Leia a íntegra aqui.

Nenhum comentário: