11 agosto 2011

Retorno ao blog


Retomando o blog, após a longa pausa anunciada. Cheguei ontem a Belém, tri-cansado da minha aventura de 40 dias em Toronto. Acho até que tenho umas histórias a contar. Percebo que as coisas por aqui estão quentes. Denúncias sobre o 366, divisão do Estado pautada nas esquinas, gastos astronômicos com o tal Terruá Pará para fazer farra na casa alheia. Tudo bem, porque as coisas por lá também estavam quentes. Quando se pensa no Canadá é quase automático pensar num país coberto de neve. Ao menos num país frio. Ocorre que era verão, coisa de 41 graus, não menos. 41 graus positivos, bem entendido. C.J., o não menos foi trocadilho.

Ainda de lá postei a convocação de interessados nas duas bolsas de iniciação científica que tenho disponíveis. Informo que já tenho meus novos bolsistas, Adrielson Acácio de Lima Barbosa e Mariana de Almeida Ferreira. Faremos um bom trabalho.


De resto, vamos tocando as coisas. Impressionante a quantidade de tarefas acumuladas. Impressionante o número de contas que se tem para pagar. Impressionante o estragado que três gatos desolados fazem na casa de um bom cidadão enquanto o dono viaja. Impressionante o efeito moral e físico de uma generosa porção de açaí sobre o corpo de paraenses desgarrados.


Continuemos.

6 comentários:

Beatriz Camargo disse...

Bem vindo de volta, Fábio. Chegou bem na hora da fervura, não é?

Anônimo disse...

Benvindo, professor. Conte aí as aventuras canadenses.

Pedrox disse...

Sou suspeito (muito suspeito) pra falar, mas posso apostar que o senhor acertou em cheio na escolha da sua nova bolsista. Um feliz retorno, professor!

Ana Lucia Prado disse...

Fábio,
Bem sabes tb como é o verão europeu...tem dias que o Porto está pior que Belém. Conte coisas do Canadá, é um país listado por mim p/ visitar.
um bjo

Fabio Fonseca de Castro disse...

Caro Pedrox,
Suspeitas à parte, já tive a primeira reunião com a Mariana e com o Adrielson e percebo que fiz boas escolhas.

Fabio Fonseca de Castro disse...

Querida Ana,
É... sei. Verão de verdade, intenso. Mais quente que Belém, abafado, duro, vaporoso. Lembro do meu primeiro verão em Paris. Pensávamos que íamos curtir a cidade... Nada. A maioria dos parisienses fugiram de lá. Só turistas e turistas, por todos os lados. E muito calor. Os parisienses que restaram num mau humor terrível. Brigas nas ruas, serviços públicos fechados, etc.