15 setembro 2011

Relatório mostra que uso da telefonia fixa vem caindo

O relatório da UIT citado no post anterior também revela que, no fim de 2010, em cada cem habitantes no mundo, 78 tinham telefones móveis, 29,7 eram usuários de internet, 17,2 possuíam telefones fixos, 12,6 tinham acesso a banda larga móvel e 7,6 a banda larga fixa.

Desde 2005, o uso da telefonia fixa vem caindo, principalmente nos países desenvolvidos. E, nestes países, a telefonia móvel já atingiu um nível de saturação, com penetração acima de 100% e crescimento de apenas 1% no ano passado. Já nos países em desenvolvimento, a telefonia móvel continua se expandindo a taxa de 20% ao ano, sem nenhum sinal de retração.

Segundo o relatório, existem no mundo atualmente mais de dois bilhões de usuários de internet. Nos últimos cinco anos, esse número duplicou, e as taxas de crescimento nos países em desenvolvimento são altas: 14% entre 2009 e 2010. Os maiores crescimentos foram no Brasil, China, Índia, Nigéria e Rússia.

Apesar do considerável crescimento da banda larga no mundo, ainda existe uma grande diferença entre os países. No ano passado, em cada cem habitantes do mundo, 29,7 eram usuários de internet - mas, nos países desenvolvidos, esse número subia para 68,8. Já nos países em desenvolvimento, o número de pessoas com acesso ao serviço era muito menor: 21,1 em cada cem.

Até o fim de 2010, as redes de banda larga de maior velocidade (3G) estavam disponíveis em 154 países. Entre 2009 e 2010, o crescimento de 3G foi de 160%.

O preço dos serviços de TI em 152 países caíram 18% entre 2008 e 2010. O maior decréscimo foi nos serviços de banda larga fixa, onde a redução média foi de 52%. Mas a UIT alerta que, nos países desenvolvidos, os preços médios dos serviços de TI correspondem a não mais que 1,5% da renda mensal per capita, enquanto nos países em desenvolvimento chegam a 17%. Na África, no fim de 2010, os serviços de banda larga fixa custavam, em média, o equivalente a 290% da renda mensal.

Via O Globo
© 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. 

Nenhum comentário: