16 junho 2016

Max Bloomsday


Como hoje é bloomsday, já havendo feito o bastante, declaro encerradas as minhas atividades de gestor, no Ppgcom-UFPA, para ir assistir ao seminário sobre Max Martins que hora ocorre no auditório Benedito Nunes. Os motivos me justificam e melhores não poderiam ser. Tive a honra imensa de conhecer e conversar, várias vezes, com mas Martins. Tive a igual honra de ser surpreendido pela sua poesia – desconcertante, densa e tensa. Na impossibilidade de percorrer a dirty dumb Berlim (e, tampouco, a bela bosta Belém – sua equivalente) nesta tarde de junho, retrocedo ao auditório. E viva Max Martins, grande poeta e grande figura, Lepold Bloom amazônida à medida em que contém, como o referente, a toda propagação de clássicos.

Nenhum comentário: