06 dezembro 2009

Outra Amazônia 13: 1º recorte: A diversidade territorial

Ao contrário do que se pensa, a floresta amazônica não é um bioma único, mas muitos diferentes biomas, com características próprias e com processos históricos próprios. Essa diversidade está mais presente no Pará que nos outros cinco estados que com ele fazem parte da região Norte (Amazonas, Acre, Amapá, Roraima, Rondônia e Tocantins) ou com o território dos outros dois que, junto com os anteriores, conformam a Amazônia Legal (Mato Grosso e Maranhão). Ela é maior no Pará porque, com a sua dimensão territorial (1,2 milhão de km2) e em função de sua localização geográfica, ocorre o encontro da floresta ombrófila, densa, da Amazônia, com várias outras formações: as várzeas de estuário, as várzeas lacustres do rio Trombetas, o litoral atlântico, o cerrado, a várzea do sistema tocantino, os campos inundáveis do Marajó, a mata costeira de mangue e várias outras. Nos demais estados amazônicos a formação geográfica é mais uniforme e, portanto, menos complexa que a do Pará. Essa diversidade de biomas resulta numa diversidade correspondente de sistemas agrários, práticas extrativistas e formações populacionais. 

Nenhum comentário: