08 dezembro 2009

Outra Amazônia 16: 4º recorte: A herança funcionalista

Em quarto lugar, enfim, porque o Pará funcionou como um laboratório de políticas públicas equivocadas, tanto durante o regime militar como depois dele. Essas políticas públicas, com a (boa) intenção de incluir o estado na coerência produtiva da sociedade nacional brasileira, engendraram ou estimularam problemas que restam passivos a resolver, como as questões fundiária, ambiental e, também, o esgotamento do modelo convencional do processo produtivo. Atualmente é muito fácil atribuir essas situações à responsabilidade do governo estadual sem ter em mente que quase todas elas resultaram do autoritarismo do Governo Federal e de seus projetos de desenvolvimento, geralmente realizados à revelia da experiência concreta da sociedade local.

Nenhum comentário: