12 dezembro 2009

Outra Amazônia 25: 1ª diferença: Compromisso externo ou interno?

O modelo predador compreende a economia como um processo centrado no jogo estímulo-demanda. Por isso, interpreta que a normalidade, em economia, é o Pará se preparar para atender à demanda externa, a demanda criada pelos mercados consumidores. O modelo predador está compromissado com o que é bom para esses mercados. O NMD, ao contrário, acredita que a normalidade, em economia, está baseada num compromisso interno, ou seja, com o Pará. Assim, as condições de oferta têm seu foco nas potencialidades dos paraenses, nas riquezas naturais presentes no território e na experiência social de produção dessas riquezas. Por exemplo: produz-se um bom cacau na Transamazônica, mas a falta de compradores faz com que essa produção seja pequena. É uma situação potencial, que reúne qualidade de solo e capacidade de mão de obra, só falta fechar o elo da cadeia encontrando o comprador, que existe, mas não sabe que pode investir naquele território. O modelo predador nunca se preocupou com isso, o NMD começou a trabalhar um arranjo produtivo local e a induzir o consumo daquela produção e hoje já temos uma fábrica se instalando na Transamazônica para produzir chocolate.

Nenhum comentário: