14 dezembro 2009

Outra Amazônia 28: 4ª diferença: Modelo exportador ou modelo flexível

O modelo predador enfatiza o papel das exportações. Sempre está voltado para o mercado externo, sempre se coloca nessa condição passiva, como se o Pará estivesse condenado a se um depósito de riquezas, como se a tarefa do paraense fosse apenas coletar essas riquezas para enviá-la a seus verdadeiros donos e como se a missão do Estado fosse, exclusivamente, criar condições que facilitam esse processo. O modelo predador pensa no Estado como um passador de riquezas e um recebedor de migalhas. O NMD não aceita essa condição. Ele reconhece que o segmento das exportações tem limites. Por isso, propõe um modelo flexível, sempre pensando em diminuir a vulnerabilidade paraense aos caprichos do mercado internacional. Flexibilidade significa um campo econômico variável, dinâmico, que seja capaz de gerar oferta e não de, exclusivamente, atender à demanda.

Nenhum comentário: