27 junho 2010

Futebol sem medo de ser feliz

A Alemanha de Joachim Löw foi talentosa, ousada e jogou com garra, com velocidade e com alegria. Parecia a seleção brasileira de antigamente – a que morreu imerecidamente na copa da Espanha, em 1982 e que nunca mais se repetiu, dando lugar ao futebol de negócios e à cartolagem corrupta e burocrática de hoje em dia. No melhor jogo da Copa, mostrou que a oposição entre futebol arte e futebol de resultados é conversa de incompetente ou medroso.

Nenhum comentário: