29 julho 2010

Por um referencial público para as pesquisas eleitorais

Estas eleições estão comprovando o que muita gente sempre soube e sempre falou: pesquisa eleitoral é pouco mais que instrumento de marketing e persuasão. Num contexto em que o instituto DataFolha desmoraliza-se mais que a Ferrari, falseando resultados por meio de mostragens redutoras da diversidade social, obviamente de acordo com interesses próprios e das empresas financiadoras da pesquisa, é preciso propor uma renovação. Gostaria de lançar a seguinte idéia: E se as pesquisas eleitorais devessem partir de uma metodologia padrão, estabelecida por órgãos públicos juntamente com a sociedade civil?
Os órgãos públicos aos quais me refiro poderiam ser IPEA, IBGE, FGV, bem como universidades. A metodologia padrão seria uma ponderação técnica com critérios claros, demonstráveis. O papel da sociedade civil seria o de fiscalizar as atualizações da metodologia e a aferição de resultados.
A partir desse referencial as empresas poderiam fazer pesquisas como quisessem, recebendo ou não a autenticação do referencial público e, ademais, seriam obrigadas a esclarecer, justificar, quaisquer variações a respeito do referencial público.

Nenhum comentário: