08 setembro 2010

Surge o primeiro curso superior em educomunicação

A USP vai abrir, em 2011, um curso de licenciatura em Educomunicação. O curso está sendo proposto pela Escola de Comunicações e Artes (ECA), com duração de quatro anos, oferece 30 vagas, todas no período noturno. O conceito de educomunicação refere a produção midiática voltada à educação. Ele está sendo legitimado pelo sistema universitário como um campo específico de trabalho profissional, que necessita de formação específica, diferenciada da formação de jornalistas e demais profissionais de comunicação. O perfil do profissional terá uma dimensão híbrida muito interessante: ele será capacitado tanto para o campo educacional (ministrar aulas de comunicação no ensino médio ou mesmo coordenação de programas voltados à produção midiática nas escolas) como para o campo comunicacional (em especial, na mídia impressa, em canais culturais e educativos de rádio e TV, bem como na nascente área da educação a distância). Trata-se, portanto, do primeiro curso com funções abertas, simultaneamente, para a área da consultoria e do magistério.

O curso se estrutura em quatro blocos de conteúdos, trabalhados ao longo 2.800 horas de atividade acadêmica, em oito semestres letivos. Um primeiro bloco volta-se para a formação específica, integrada por disciplinas teórico-práticas dedicadas ao pensamento comunicacional e à ação educomunicativa. Atividades acadêmicas, científicas e culturais estão previstas para permitir o debate de questões como a presença da mídia nos temas educativos e as modalidades da gestão da comunicação e de suas tecnologia, como a TV Digital e a Web.2, nos espaços educativos. O segundo e o terceiro blocos reúnem disciplinas relacionadas aos fundamentos teóricos da educação e suas práticas através do exercício profissional possibilitado pela licenciatura, contando, para tanto, com a colaboração da Faculdade de Educação. Um total de 420 horas da grade curricular serão destinadas, no quarto bloco, aos estágios supervisionados em escolas, organizações não governamentais, setores da mídia e departamentos públicos de áreas que aplicam a educomunicação.

Mais informações no site www.cca.eca.usp.br.

  

Um comentário:

Anônimo disse...

Poxa, pq não utilizar os trabalhadores da comunicação já formados, que estão desempregados... bastava um MESTRADO EM EDUCOMUNICAÇÃO.
Aí vem a USP criando moda... já não basta os milhares de desempragados jornalistas, relações públicas e publicitários jogados às baratas...