03 dezembro 2010

Disputa do Pré-sal esvazia seu potencial estratégico

Alexandre Padilha, ministro das Relações Institucionais e, possivelmente, futuro catalizador do PT paraense, afirmou na manhã de ontem que vai pedir ao presidente Lula que vete a emenda da distribuição dos royalties da produção petrolífera do pré-sal, aprovada na madrugada de quarta para quinta-feira, na Câmara dos Deputados. A emenda depende apenas da sanção presidencial para entrar em vigor. 

Faz muito bem, muitíssimo bem. 

Os estados e seus políticos ficam nessa guerra e não pensam estrategicamente. 

A tese de que os royalties da exploração de petróleo devem ser partilhados entre estados e municípios, reservando uma quota à União, desvia esses recursos para os gastos correntes das máquinas públicas das três esferas. Quando o certo seria conduzir esse dinheiro para um fundo social, tal como prometido por Lula e Dilma, a ser empregado na educação, na saúda, na cultura e em ciência e tecnologia. 

Em minha opinião, os estados e municípios sequer deveriam receber alguma coisa. 

Com sua postura, esvaziam o Pré-sal. 

Nenhum comentário: