01 fevereiro 2011

Um cacho de bananas a mais

A decisão do PT de apoiar Manoel Pioneiro, do PSDB, à presidência da Assembléia Legislativa do Pará indica apenas a prevalência de uma política fisiológica, o que é lamentável. O partido precisa superar a pulsão interna por fazer uma política de conjuntura, porque, assim, perde de vista seus compromissos. Respeitar a conjuntura e se adequar a ela tendo em vista um projeto maior é uma coisa, é o que pode ser chamado, realmente, de pragmatismo, no sentido estrito da palavra; mas trocar posições políticas de longo prazo por bananas - ou mesmo um cacho delas - é fraqueza. Vamos ver se se confirma essa história.

Nenhum comentário: