21 abril 2011

Meia palavra sobre a Alepa

Sobrecarregado com minha pesquisa, em fase de sistematização de dados, tenho andado ausente do blog, mas não posso deixar de vir aqui para comentar um pouco essa questão escandalosa das fraudes na Assembléia Legislativa do Estado. É que o caso é decepcionante, pois antes de tudo mostra o grau de corrupção atávica da política paraense.

PSDB, DEM, PMDB e PTB estão no olho do furacão. PPS e PT estão falando pouco a respeito. Só o PSOL se manifesta... - aliás, num trunfo político que o ex-prefeito Edmilson Rodrigues vai captar justa e individualmente...

Então, como se desviam R$ 25 milhões, ao longo de anos e anos de gestões pífias e o geral dos esforços é para obscurecer e despolemizar essa questão - como se ela fosse um fato contumaz e secundário da vida política do estado?

O silêncio do PPS, a respeito, está fazendo uma barulho ensurdecedor. As poucas palavras do PT, a respeito, são constrangedoras. A entrevista do presidente da casa, Manoel Pioneiro (PSDB), em O Liberal de hoje é estapafúrdia e mostra um sujeito com ar defensivo e obsoleto. As aparições de Robgol, na televisão, com sua cara-de-não-sei esculpida em madeira dura matam de vergonha até mesmo a vã humanidade. As meias palavras do Diário do Pará, a respeito do assunto, apenas desinformam e jogam aos lobos seu grande deputado-candidato Domingos Juvenil.

Em minha opinião o que aí se tem é uma bomba de destruição massiva. O fato que funda a corrida para as eleições de 2012 e, talvez, de 2014, as quais poderão ser marcadas por uma sensação de profundo desencanto, com a política, por um setor da sociedade que antes votava nesses partidos por ele identificados como "normais" (PSDB, PMDB et caterva).

Sabem o que eu gostaria de ver? Que mais gente se manifestasse a respeito. Que a discussão não fosse evitada. Como é que pode, com um assunto desses, se ficar calado?

6 comentários:

Jayme Brener disse...

Ô, Fabio. A manifestação do Puty, pedindo a formação de uma comissão da Câmara pra acompanhar a apuração do escândalo, é inequívoca. E correta.
abraço,
Jayme Brener

César Neto disse...

Caro amigo Fábio, acompanho sua reflexão. Esse assunto está ficando com um ar de tabu. Os jornalões estão deformando tudo. Alguns blogs estão informando (o da Perereca e o da Franssi, por exemplo), mas não está havendo avaliação, análise. A política entrou na defensiva. Parece que está definhando.

Anônimo disse...

Fábio,
Ficou sinistro agora: já viste que o advogado do Semel é o Américo Leal? (Medo!)

Anônimo disse...

E a ex-governadora, hein? Nem uma palavrinha a respeito... Esperando, esperando...

Sandra Lima Cruz disse...

Fábio, Parece que o PT desaprendeu a fazer política. Numa hora dessas era para estar fazendo o maior barulho. Mas... que nada. Até agora as manifestações foram polidas, a bem dizer apáticas. Parece que não está nem aí. Me diz: não era para estarem demonstrando indignação, fazendo um ato público? Não era para escreverem um artigo, uma nota coletiva? Não era para surfarem na crise do adversário? Cobrarem todas as explicações e todas as ações do PMDB e do PSDB? Vai ficar parecendo que a culpa é do PT! No mínimo vai parecer que o PT tem o rabo preso. E salve Edimilson Rodrigues, esse sim vale a votação que teve!

Fabio Fonseca de Castro disse...

Olá Jayme,
Tinha em mente a falta de posição da bancada petista na Alepa, e não tinha visto, ainda, o pronunciamento do Puty. Vc tem razão: inequívoco e correto. Para quem não viu, segue o link: http://claudioputy.blogspot.com/2011/04/escandalo-da-alepa-apuremos-tudo.html