06 outubro 2011

O MinC e os valores opostos à cultura

No blog Trezentos:

Para a secretária da Economia Criativa, Claudia Leitão, é preciso desterritorializar, despersonalizar e bestializar a cultura e, em contrapartida, ela oferece a ilusão e o mal-estar dominante da santificação do mercado.

Desde a chegada do novo comando ao MinC que a cultura brasileira vive um drama. Há uma moral invertida na filosofia de se buscar um jogo casado entre cultura e mercado.

Depois de um semestre célebre com os ataques da Ministra Ana de Hollanda às reformas da LDA em prol do Ecad, da Lei Rouanet e das corporações, a visão salivada do Ministério da Cultura com a recente, SEC – Secretaria da Economia Criativa, tudo indica que o sonho da ministra é transformar as manifestações espontâneas da sociedade em asilo de alienados pelo mercado.

Um comentário:

Anônimo disse...

Fábio, a secretária Cláudia Leitão elaborou um plano de ação consistente para a SEC, para mapear e fomentar os setores da economia criativa. Destina-se, principalmente e especialmente, aos chamados "excluídos" do mainstream cultural.A ação da SEC envolve diversos ministérios e instituições, públicas e privadas, em uma série de ações transversais. Em breve lançará o plano Brasil Criativo, onde demonstrará como vai fazer isso. É uma grata surpresa no time que está aqui no MinC, e ainda vamos ouvir falar muito dela, positivamente. Bom Círio pra ti!
Abraços,
Oswaldo Reis Junior