Pular para o conteúdo principal

Bradesco está desfigurando imóvel histórico em Belém. Oportunistas estão roubando os azulejos. Cadê o poder público?


Edifício localizado na Av. Nazaré, Largo do Redondo, foi reformada no início do século XX pelo engenheiro arquiteto José Sidrim como residência do Sr. Lopo de Castro, atualmente sede de um Banco, está tendo seus preciosos azulejos retirados na surdina. Não se sabe se estão tendo o mesmo destino dos belos gradis do casario vizinho. Valha-nos quem?

Do Facebook da Ana Léa Mattos.

Observação: Passei hoje por lá. A porta que aparece nesta foto está coberta com um tapume. Ainda ontem percebi que os azulejos internos dessa varanda estavam sendo retirados. É caso de polícia. Quem vai fazer o quê?

Comentários

http://artebancaria.blogspot.com/2012/01/bradesco-atenta-contra-vida-seguranca-e.html
Anônimo disse…
Informamos que o Ministério Público Federal instaurou, com base em sua informação, um procedimento de apuração. O procurador José Augusto Torres Potiguar oficiou ao Iphan para saber:
1. Se o bem faz parte da lista do patrimônio histórico federal em nossa cidade;
2. Se for tombado pela instituição federal, que seja feita vistoria no local, com embargo de quaisquer obras irregulares.

Ministério Público Federal no Pará
Assessoria de Comunicação
Fones: (91) 3299-0148 / 3299-0177
E-mail: ascom@prpa.mpf.gov.br
Site: www.prpa.mpf.gov.br
Twitter: http://twitter.com/MPF_PA
hupomnemata disse…
Agradeço ao MPF os encaminhamentos dados.
podcastigar disse…
Poder público - Está no mesmo lugar a anos fazendo a mesma coisa que sempre fez NADA. Quer um grande exemplo disso? Belém do Pará ainda tem como Prefeito o Duciomar Costa que já foi cassado várias vezes pelo "poder público" e o caso não deu em nada.

Casarões tombados - A cidade é cheia de casarões antigos literalmente tombados pelo tempo. Exemplo: olhe pro lado direito do prédio do Bredesco em direçao a José Malcher e veja vários casarões caindo aos pedaços.
Quer outro? Ande pela região do comercio.
Samir Oliveira disse…
Poder público - Está no mesmo lugar a anos fazendo a mesma coisa que sempre fez NADA. Quer um grande exemplo disso? Belém do Pará ainda tem como Prefeito o Duciomar Costa que já foi cassado várias vezes pelo "poder público" e o caso não deu em nada.

Casarões tombados - A cidade é cheia de casarões antigos literalmente tombados pelo tempo. Exemplo: olhe pro lado direito do prédio do Bredesco em direçao a José Malcher e veja vários casarões caindo aos pedaços.
Quer outro? Ande pela região do comercio.

Postagens mais visitadas deste blog

E quando é a “justiça” que ameaça a democracia?

Pode-se dizer que isso é muito comum em sociedades totalitárias e mesmo em sociedades regidas por elites conservadoras. Pode-se perceber, efetivamente, que, ao longo da história brasileira, os mecanismos da “justiça” não se portaram, estruturalmente, como se empenhados na construção da democracia. Porém, cada época conta os seus tostões… E não tenho como não ficar estarrecido vendo a maneira como a “justiça” brasileira, do STF ao juízes investigadores do MP, vai se comportando da maneira descaradamente golpista e abertamente anti-democrática. Ora senão se veja: os sintomas desse processo abundam. A positivacão do senso comum Em primeiro lugar, por meio da positivação do senso comum: positivo não no sentido de bom, ou correto, mas no sentido de objetivo – produção de uma unanimidade por exclusão: quem não está de acordo é punido. Com isso, acaba ocorrendo uma inversão na ordem que antes regia o papel da justiça: ela deixa de defender a sociedade para passar a defender interesse

Link para os últimos números de algumas revistas científicas na área da comunicacão

Publico aqui o link para os números recentes de algumas revistas do campo da comunicação: Conexão - Comunicação e Cultura , da Universidade de Caxias do Sul. Comunicação e Sociedade , da Universidade do Minho - que traz um dossiê sobre  Ética na Comunicação , com participação de Clifford G. Christians, Jane B.Singer, Carlos Maciá-Baber e Luís Sá Martino, entre outros. Esferas , publicação conjunta dos programas de pós-graduação do Centro Oeste, que traz o dossiê Comunicação e Interculturalidade . Rádio-Leituras , da Universidade Federal de Santa Maria Mediação , dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da FUMEC, ue traz o dossiê Comunicação em jogo: o esporte e o lúdico sob a lógica midiática. Intexto , revista do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação da UFRGS. Revista IHU do Instituto Humanitas da UFRJ, com o dossier Jornalismo pós-industrial . http://www.ihuonline​.unisinos.br/impress​a/ Adendo posterior: E tam

Um tetrâmetro trocaico cataléptico

Bom, é para rir, mas para quem quiser levar à sério aqui vai a explicação para o que vem a ser um "tetrâmetro, trocaico cataléptico" : Tetrâmetro: O fato essencial – e torpe – é que cada verso é composto por quatro troquéus. Um troquéu é uma coisa formada por duas sílabas, sendo que a primeira é tônica e a segunda atônica. Coisa típica do inglês: “ti•ger”. Isso é curioso porque a métrica latina sempre opõe o peso relativo de sílabas longas a curtas, ao cpontrário do inglês. Mas, como se sabe, o inglês é uma língua semi-bárbara. Então, fica sendo curioso. Já que cada verso contém quatro troquéus, ele pode ser considerado um tetramétrico.  Cateléptico: O último troquéu, no entanto, é monossilábico. Ou seja, está incompleto: (“bright“). Esse corte é chamado catalexis. Por isso se diz que o último troquéu é cataléptico. Trocaico:  É o ritmo. O ritmo do poema, que quase reproduz o andar de um tigre, pé ante pé, sincopado, nessa calma contida dos felinos e, talvez, de cer