31 agosto 2014

Ppgcom: quando prevalece o humanismo

Hoje publiquei no Diário do Pará um artigo chamado “UFPA: entre a tecnocracia e o humanismo”. Esse artigo foi motivado, é claro, pelo enfrentamento que vivenciamos, eu e alguns colegas da Faculdade de Comunicação, e que tornamos público por entender que a universidade pública precisa ser defendida com apoio da sociedade.

Pois bem, fico feliz em saber que, ao menos neste caso, o humanismo venceu a tecnocracia. E estou muito feliz em compartilhar essa notícia com todos aqui, ao mesmo tempo em que o artigo foi publicado. Explico:

1. Na última terça-feira um grupo de professores da Faculdade de Comunicação e o Centro Acadêmico do Curso de Comunicação, o Caco, divulgaram manifestos em solidariedade à prof. Alda Costa e mim, em relação ao nosso enfrentamento no Programa de Pós-graduação Comunicação, Cultura e Amazônia. Eleitos a 6 de junho para coordená-lo, não apenas não conseguimos assumir como também vivenciamos um verdadeiro assédio moral, por parte de alguns membros do seu colegiado; o que motivou, depois de diversas tentativas de superar o problema e de recorrermos ao Conselho do Instituto de Letras e Comunicação, em fim, nosso pedido de descredenciamento do programa.

2. Em seus manifestos de apoio, professores e alunos do curso de Comunicação pediam para que reconsiderássemos nosso pedido de descredenciamento. Na quarta-feira, o Conselho da Faculdade de Comunicação, após reunião, divulgou nota de solidariedade e de apoio à nossa posição. A prof. Alda Costa e eu aceitamos voltar atrás de nosso pedido de descredenciamento.

3. Na quinta-feira, em reunião da Congregação do Instituto, o caso foi longamente debatido. De posse dos documentos necessários (finalmente a ata do dia 06.06 chegou ao Conselho), o ILC decidiu solicitar imediatamente a emissão da portaria de nomeação dos professores Fabio Castro e Alda Costa para a direção do PPGCOM. Esse entendimento foi praticamente unânime, com exceção apenas de um voto, dos representantes discenters do Ppgcom, que se abstiveram.

4. Nessa reunião também foi apreciado documento enviado pela coordenação do Ppgcom, exigindo uma resposta ao que chama de "intervenção" da Congregação no programa, mas os argumentos ali presentes foram desmontados pela simples leitura contextual de todo o processo. A decisão da Congregação dizia respeito ao cumprimento de um processo administrativo absolutamente dentro da sua alçada que não fora cumprido e estava já fora do prazo. Mesmo porque se o regimento interno do Ppgcom não fala em prazo para a transição, a Resolução para os Programas de Pós-Graduação da UFPA (em seu art. 15, alínea "n"), diz claramente que o tempo máximo para divulgar oficialmente e encaminhar o resultado de uma eleição na pós é de "no máximo 30 dias". Nessa reunião caíram por terra todos os argumentos centrados num falso legalismo para esticar uma “transição” por mais de 90 dias.

5. Na sexta-feira a coordenação do Instituto encaminhou à Reitoria a ata de nossa eleição, solicitando nossa imediata nomeação e posse.

Ao final desse longo e cansativo processo temos uma vitória a comemorar. Ela não seria possível sem que o debate viesse à público e que a sociedade se manifestasse. Ela não seria possível sem a manifestação de inúmeros professores e alunos de toda a UFPA. Agradeço pela “chuva” de mensagens de apoio, vindas de todos os cantos da universidade e de fora dela.

Como disse, temos uma vitória a comemorar. E penso que é mais que uma vitória localizada num dado nó burocrático de uma instituição. Penso que é a vitória dos que acreditam na universidade pública como uma instituição viva e politizada, e não como uma mera organização, fria e morta, passível de ser ocupada por interesses individuais e mascarada por estratagemas burocráticos.

Espero que a UFPA do futuro seja uma verdadeira instituição humanista, e não uma mera organização tecnocrática. É isso que teremos em mente quando, em fim, na semana que entra, assumirmos a coordenação do Ppgcom.


10 comentários:

Sandra Cabral disse...

Parabéns professor, pelo artigo, e pela vitória contra essa universidade tecnocrata que ninguém quer. Obrigada pela coragem de levar a frente esse enfrentamento. Ver o apoio que você teve dos alunos e dos professores da UFPA e ver como a instituição se colocou do seu lado, com igual coragem para fazer o que é certo nos mostra que ainda vale a pena fazer o bom combate! Um grande beijo, professor. Essa vitória é de todos nós, pode estar certo!

Anônimo disse...

Excelente notícia. Fiquei com vontade de entrar nesse mestrado!

OCTAVIO PESSOA disse...

Parabéns amigo Fábio Castro. Sua coragem e de seus companheiros de luta é kayrótica(divisora de épocas). Certamente vai inspirar posturas semelhantes noutros segmentos da UFPA e da Universudade Pública brasileira, onde o humanismo está sufocado pelo burocratismo que abriga as distorções responsáveis pelo atraso e que inviabilizam que a instituição universidade cumpra o papel para o qual ela foi criada, o de dar respostas às necessidades da sociedade onde ela está implantada.

Anônimo disse...

Muito feliz com essa vitória. É empolgante ver a universidade - professores, alunos e funcionários, juntos - se mobilizarem por uma causa justa e derrubarem uma gestão autoritária e anti-democrática. Essa luta aquece nosso coração e nos faz acreditar na UFPA. Tenho orgulho de dizer que a UFPA é a MINHA universidade!!!

Dani Rachid disse...

Uma vitória de todos mesmo. Até de ex-alunos da UFPa, como eu, que sabemos da importância de professores como vc e a Alda na minha sempre amada UFPa. Bola pra frente, Fábio!

Alípio disse...

Bela reflexão, Octavio, concordo inteiramente. A professora Beth Vidal já mencionou algo similar num comentário a outro post. A superação dessa questão não apenas dá ao Ppgcom a oportunidade de ser coordenado pelo Fábio e pela Alda, que têm toda uma história de experiência de gestão e de diálogo com a sociedade mas, também, dá um fôlego novo ao ILC. A posição da Congregação e seu empenho para resolvê-la foi nota 10. O ILC sai reforçado dessa história e se projeta na UFPA como um espaço acadêmico forte e centrado, um peso pesado na vida da UFPA. De fato, temos aqui um demarcador de águas. Vida longa ao ILC, à FACOM e ao PPGCOM.

Mariluz disse...

Fico muito feliz em ver essa construção coletiva. É a Facom se superando, questionando o MEC e preparando seu futuro. Bom trabalho a todos.

Raissa Ferreira Bentes disse...

Parabéns pela coragem, pelo enfrentamento e pela vitória, professor. Os alunos e o curso de Comunicação só têm a ganhar com a sua permanência. Que sirva de exemplo para os demais que lutam e sonham por uma instituição humanitária e não apenas tecnocrática!

Anônimo disse...

A universidade pública se constrói com inteligência e coragem. Lutar contra as forças do obscurantismo é difícil, mas é preciso. Vocês da comunicação deram um exemplo e uma lição para todos nós.

Anônimo disse...

Que novos tempos cheguem ao PPGCOM e a toda a UFPA!