13 dezembro 2015

Roteiro político: as razões de Temer


Ocorrido: O jornal Estado de São Paulo publica uma matéria, assinada pelos repórteres Andreza Matais e João Villaverde, que levanta sete decretos de “pedaladas” fiscais de Michel Temer. Esses decretos abriram crédito suplementar de R$ 10,8 bilhões. Como se sabe, é pela mesma razão que se procura criar fundamento para o impeachment de Dilma. Pego na mesma situação, pela lógica, Temer também precisaria ser impedido.

Movimento oportunista: Dois dias depois do fato, Temer envia sua cartinha à presidenta. Tenta jogar a bomba no colo da presidenta. Procura justificar suas “pedalas” dizendo que assinatura de vice-presidente, mesmo quando no exercício do mandato, são de responsabilidades da Chefa do Governo.

Detalhe importante: Os decretos assinados por Temer, somente em 2015, apresentaram um volume três vezes superior aos de Dilma. Foram quatro decretos editados por ele neste ano: um em 26 de maio, liberando R$ 7,28 bilhões; e três em 7 de julho, que abriram crédito suplementar, de pouco mais de R$ 3 bilhões, ao todo.

Necessário juízo de valor: É muita calhordice. Por isso essa carta, um ato politico que pretende ter o efeito de marcar uma posição de afastamento em relação a Dilma e, assim, salvar seu pesçoco e porder, na eventualidade de um impedimento, não o ser igualmete.

Reflexão irritada: Cinismo, deslealdade e oportunismo fazem parte do quotidiano dos golpistas. No vale-tudo em que esses aventurairos estão lançando a República, podemos esperar que atitudes como se tornem a norma. 

Nenhum comentário: