11 dezembro 2015

Sobre Delcídio Amaral e sobre corrupção

Um petista estressado, meu colega de longa data, me telefona, esperançoso de que eu acalente sua ansiedade:

“Viste? E se o Delcídio sai falando qualquer coisa? Ele entrou nessa onda da delação premiada”

Sintetizo minha opinião sobre a coisa e sobre o senador Delcídio Amaral:

“Pois eu quero mais é que ele conte tudo o que tem para contar, inclusive que comece do começo, quando ele era filiado ao PSDB e membro da diretoria da Petrobrás”.

Recordo que Delcídio Amaral é um oportunista, que entrou para o PT pouco antes das eleições de 2002 – como tantos há… e que é preciso evidenciar essa relação, essa genética política, porque falar de corrupção de forma velada, bem como temer enfrentar qualquer questão relacionada, é cinismo de direita.

“Mas tu não achas que isso vai causar mais confunsão na cena política?”

O petista estressado não fala confusão, fala “confunsão”. É seu peculiar. Creio que ele agrava a palavra e gosto disso. Confusão anasalada soa mais dramático, mas também, contraditoriamente, desmistifica o suposto drama.
____________________________

Para constar, uma sintética contextualização do caso: no dia 25 passado o STF mandou prender o senador Delcídio Amaral, do PT-MS, por tentativa de obstrução da Operação Lava-Jato. Foi a primeira vez, desde a redemocratização, em 1985, que um senador foi preso no exercício do mandato. Encontraram-se evidências (uma gravação) de que o senador oferecera uma “mesada” de R$ 50 mil para que o ex-diretor da Petrobrás, Nestor Cerveró, omitisse seu nome nas denúncias que vem fazendo em seu acordo de delação premiada. Por que? Porque Delcídio é, provavelmente, o elo da corrupção na Petrobrás. Durante o governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB) ele comandou a diretoria de gás da estatal. Nesse momento, Cerveró era seu adjunto e é aí que toma corpo o grande esquema de corrupção que envolve a empresa, um esquema que passou do governo tucano para o governo petista. O Senado, por grande maioria, inclusive com votos petistas, autorizou a manutenção da prisão de Delcídio. Que bom! A corrupção é um mal da política como um todo, está na essência do processo político, e por isso nenhum partido está à salvo dela. Tanto faz se esse senador está filiado ao PT ou ao PSDB: ele deve ser preso, mesmo, e contar tudo o que sabe.


Nenhum comentário: