20 janeiro 2016

Eleições para a reitoria da UFPA começam muito mal

Há alguns dias todo o corpo docente da UFPA foi surpreendido por um questionário eletrônico não identificado contendo uma pesquisa de intenção de voto para a sucessão da atual reitoria. Gostaria de manifestar minha indignação com esse questionário e com a maneira como ele foi feito: utilizando o mailing da instituição (ao qual poucas pessoas têm acesso), sem nenhuma identificação de autoria e sem indicação de metodologia. Ou seja, como um subterfúgio espúrio de algum interesse eleitoral que procura se dissimular em vez de participar, de maneira democrática e honesta, do processo sucessório. Pior: provavelmente, mais do que uma pesquisa de intenção de voto, trata-se de um mecanismo para identificar quem pretende votar em quem, pois o sistema utilizado no questionário permite a identificação de cada pessoa que o responda. Uma vantagem eleitoral obtida de maneira desleal, que leva ao constrangimento de sujeitos político legítimos e a acordos pontuais, traindo o princípio democrático do debate e da construção coletiva. Esse tipo de atitude corresponde à esfera da baixa política, inadmissível numa universidade pública. Penso que o processo de escolha do próximo reitor da UFPA deva ser transparente. A UFPA merece uma eleição honesta. Os candidatos devem se apresentar de cara limpa, sem máscaras, sem artifício e sem subterfúgios. Os candidatos que porventura ocupem cargos de gestão ou chefia não devem recorrer a instrumentos ou recursos da instituição para fazer sua campanha ou para fazer sondagens dessa natureza. Estou profundamente indignado com esse tipo de atitude e lamento que, em plena universidade pública, haja pessoas que recorrem a práticas tão simplórias de manipulação.
Prof. Fábio Fonseca de Castro, Facom/Ppgcom

4 comentários:

Mártins Martins Filho disse...

A 1a questão é: quem fez? A 2a questão: cadê o Ministério Público?

Anônimo disse...

A disputa eleitoral da UFPA está em curso. E, pelo que se vê em termos de distribuição de favores e de jogo de visibilidades, ela não tem regras...

Kalynka Cruz disse...

Isso é certamente um assunto no qual o Ministério Público deveria intervir.

Anônimo disse...

O cerco está se fechando. As suspeitas recaem sobre reitoráveis com bom acesso à máquina e apoiadores trapalhões com bons conhecimentos de tecnologia...