24 maio 2016

7 Notas rápidas sobre as gravações de Romero Jucá

1.
As gravações de Romero Jucá provam, sobretudo, que a Procuradoria Geral da República e o Supremo Tribunal Federal (STF) tinham conhecimento e pactuavam com o desvio de finalidade do processo de impeachment.
Ou seja: sabiam que era golpe, sim!
E apoiavam o golpe. Pois nada fizeram. Sabiam e nada fizeram.
Se a gravação tivesse sido divulgada antes, Dilma não teria sido deposta e a República não teria sido usurpada.

2.
Tudo isso, a fundo, é apenas um golpe dentro do golpe. O novo golpe está sendo dado por uma parte do PSDB que pretende fragilizar o PMDB, se livrar de Aécio e construir a candidatura de Serra.
Aécio é indefensável e vai ser degolado, mais cedo ou mais tarde, pela Lava Jato. O PMDB é visto pelo PSDB como a sua alavanca para tomar o poder, apenas. Serra, historicamente desprezado por FHC, foi por ele - e pela Folha de São Paulo, em editorial publicado no domingo - saudado como "estadista”.

3.
Outro efeito da gravação de Jucá é aumentar ainda mais a desmoralização do STF. O Supreminho se apequena cada vez mais. Às custas disso, Gilmar Mendes, politicamente, ganha mais poder.

4.
Pode-se falar mal do republicanismo excessivo de Dilma, mas o desespero intestinal exposto na gravação de Jucá apenas prova o que sempre se soube e que a direita golpista sempre evitou falar: que apenas Dilma garantia a Lava Jato. 
Nem Janot, nem o Supreminho, nem o Moro(lista) e nem o Congresso têm poder ou força política para manter a Lava Jato. O golpe foi dado, também, para contê-la.

5.
As declarações de Jucá são translúcidas. As tênias vomitadas se contorcem no chão. O país está chocado. Os apoiadores do golpe, talvez, ainda não sintam vergonha de apoiar esses políticos, mas algo mudou.
Precisamos explorar suas idiossincrasias e fazê-los perceber o erro terrível, histórico, que cometem ao apoiarem o governo Temer.

6.
Claro fica a inocência de Dilma em todo o processo. Claro fica o golpismo e o cinismo de todos os políticos que aprovaram seu afastamento, tanto na Câmara como no Senado. Dilma deveria ser trazida imediata e rapidamente ao Planalto. Essa corja sim é que deveria ser afastada – e presa.
A hora é da reforma política. Uma reforma política centrada na manutenção da interdição do financiamento privado de campanhas, na valorização dos partidos sobre as pessoas e os nomes, no voto em lista, na reformulação do pacto federativo, na valorização da democracia direta e na reforma completa do STF.

7.
O STF deveria ser reformado, sim. A gravação de Jucá confirma sua vulnerabilidade, seu partidarismo e seu conspiracionsimo.
Juízes devem ser eleitos por voto direto da população e por mandatos. E, sim, devem obedecer à Constituição.



4 comentários:

Anônimo disse...

Análise interessante. A ideia do golpe dentro do golpe é assustadora, mas dá bem a ideia do que está acontecendo e de como essa gente é sem limites...

André Maués disse...

O senador Romero Jucá é um delinquente e o STF - o "supreminho", como você diz - é hoje uma instituição completamente sem credibilidade. PSDB e PMDB já deixaram de ser partidos políticos para se tornarem instituições conspiradoras. Rede Globo e toda a mídia brasileira não são órgãos de imprensa, mas máquinas ideológicas. Tudo é farsa no Brasil. O golpe é a farsa do impeachment.

Alex Mostoswiski Oliveira disse...

😳 é uma lástima incontrolável! Só pela chuva de granito!😂

Anônimo disse...

Esse foi mais um deboche desse processo tenebroso, o outro escárnio do dia foi o tal Ministro da Educação, Mendonça Filho (DEMonios), recebendo o Alexandre Frota em seu gabinete.Pasmem! O ator disse que foi levar propostas para a educação do país, entre elas a proposta de “tirar a doutrinação ideológica das escolas”. Será que a Democracia aguenta tanta porrada!