27 junho 2016

O coronelismo acadêmico na UFPA

Eu ainda acredito numa política feita por meio do debates de ideias e propostas. Por isso repudio, publicamente, a palhaçada que está se tornando esta campanha para a reitoria da UFPA. Esta campanha está suja, desonesta e antidemocrática. Além de feita às pressas para poder atender às expectativas eleitorais do reitor-candidato e do PMDB, além de ter evitar o debate sobre a universidade de toda forma, além de, faltando dois dias para a votação, não se ter uma lista eleitoral completa, além de estar cheia de denúncias de intimidação de técnicos e de bolsistas, de pesquisas manipuladas, de uso de equipamentos e de mailings institucionais, estamos presenciando, agora, atos de vandalismo explícito.
Nosso material que foi afixado no auditório Benedito Nunes e em outros lugares da UFPA, para o debate de hoje e em outros pontos da UFPA, foi retirado. Estragaram uns 500 cartazes. Desperdiçaram o trabalho de quem os colou. Desperdiçaram dinheiro de uma campanha feita sem apoio de empresas, partidos ou sindicatos. De uma campanha feita, apenas, com a coragem e com a seriedade de gente que questiona, justamente, esse modelo de universidade.
Queremos acreditar que isso não foi feito pela própria coordenação do Hangar, que por sinal já expressou sua intenção de voto numa outra chapa. Se o foi, fica evidente, nesse ato de autoritarismo, que a UFPA está se tornando um território de barbárie. Em outra ocasião, já falei do enfeudamento da instituição. Com esse episódio, vemos que os pequenos poderes e os pequenos gestores também já se sentem empoderados para o autoritarismo e para a barbárie.
A pergunta que me vem, percebendo como estão surgindo esses comportamentos policialescos e como os pequenos gestores começam a se sentir autorizados para vandalismo, é: será que estamos vendo o surgimento de um coronelismo acadêmico na UFPA?
Quero manifestar meu repúdio a esse tipo de campanha suja, desonesta, autoritária e anti-democrática. A UFPA merecia eleições feitas no tempo certo e merecia debate, inclusive com a sociedade, para construir melhor o seu projeto. Afinal, ou a universidade pública é democrática, ou ela, simplesmente, não é universidade.
Voto João Weyl e Armando Lírio porque nossa chapa foi construída com esses princípios, com esses valores e com o respeito pelo debate equilibrado, ético, racional e respeitoso de pessoas e ideias.

Peço que os que desejam o mesmo para a UFPA votem conosco. Precisamos dizer que a UFPA tem direito à democracia.

Nenhum comentário: