19 maio 2010

Complexo de vira-latas 1


Alguém escreveu e eu li por aí que, se Lula fosse argentino, estaria sendo insuportável suportar a vaidade deles diante do acordo fechado com o Irã. Como Lula é brasileiro, em vez de vaidade se tem o contrário: o complexo de vira-latas, que faz com que se ache que o Brasil está indo longe demais. Que está se metendo onde não deve.
Como se não devesse... Ora, em 2025, mantida a política de justiça social do PT, o Brasil será a quarta potência mundial (A respeito, veja as declarações do ministro Guido Mantega ao jornal El País, publicadas hoje). Exercer um papel de agente global se torna uma imposição, que só não é vista ou aceita por causa desse complexo de vira-latas que as elites nacionais têm e que transmitem para toda a sociedade via seus meios de comunicação.
O vice-líder da bancada do PT, deputado José Genoino (PT-SP), criticou agora há pouco a cobertura negativa dada por grandes órgãos de comunicação brasileiros ao acordo nuclear sobre troca de urânio assinado pelo Irã com Brasil e Turquia. Embora tenha sido um dos momentos máximos da história da diplomacia brasileira, com repercussão mundial, a iniciativa recebeu, no Brasil, "manchetes de pessimismo e de torcida contrária". Disse Genoino o seguinte:
"As manchetes fazem coro com aquilo que pretendem as grandes potências, que não aceitam que um país como o Brasil seja protagonista de uma política internacional baseada na paz, no desenho de uma nova geografia do poder econômico mundial e de uma política externa calcada na ascensão dos países emergentes e dos blocos regionais".

3 comentários:

Marcos Moraes de Lima disse...

Meu caro Fábio, tens razão sobre o tal complexo. Mas o pior e mais lamentável é uma imprensa nojenta, podre como essa nossa, que realmente torce contra o sucesso do Presidente, quando deveria era levantar a bola de Lula, pois ele faz justamente o que seu antecessor não fez e o que Tio Sam não tem interesse de fazer, porque quer ser, sempre e para sempre, a nação dona do mundo. Égua!

Fabio Fonseca de Castro disse...

Caro Marcos, às vezes dá vontade de chutar o balde. E o pior é ouvir as pessoas repetirem a mesma opinião que ouviram desses jornalistas imbecis, como o Arnaldo Jabor e a Miriam Leitão.

primaverasdesetembro disse...

é por que nossa "esquerda" sempre será a do canto, que não faz nada além de algazarra, e discursos ocos frente as grandes multidões de despreparados(?).Enganaram-se, mas porém contudo, a ideia de nossos representantes serem desse partido nos torna sempre os "pedichão", apesar que no FHC a visão que se tinha do Brasil para o mundo era vexatória, mesmo que grandes veículos tentassem nos provar o contrário.NUNCA NA HISTÓRIA DESSE PAÍS, houve tanta ascensão em relação a política externa e autonomia.