14 fevereiro 2011

Como anda o Egito

Os principais grupos que organizaram e conduzem as manifestações no Cairo e nas cidades mais importantes do Egito, reunidos por meio da Liderança Unificada da Juventude da Revolução da Ira, divulgaram uma relação com sete reivindicações:
  • saída do Mubarak; 
  • revogação imediata estado de emergência; 
  • libertação imediata de todos os prisioneiros políticos; 
  • dissolução das duas casas do parlamento; 
  • formação de um governo civil de unidade nacional para o período de transição; 
  • investigação pelo judiciário dos abusos das forças de segurança durante a revolução; 
  • proteção dos manifestantes pelos militares.
As reivindicações foram comunicadas por Ziad al-Olaimai, advogado de 32 anos, militante da Campanha Popular para Apoiar El-Baradei e apresentado como o único porta-voz autorizado da Liderança Unificada da Juventude da Revolução da Ira.

A junta militar que governa o país após a queda de Mubarak, no entanto, ainda não atendeu a nenhuma dessas exigências. Retirado Mubarak do poder, as demais exigências estão no seguinte ponto:

  • manteve o estado de emergência;
  • não libertou nem os manifestantes detidos, que dirá os presos políticos;
  • prendeu centenas de outros manifestantes em Suez e Alexandria;
  • proibiu as greves e as reuniões sindicais;
  • mandou a polícia do exército cercar os manifestantes que permaneciam na praça Tarhir;
  • destruiu, a golpes de facão e baioneta, as instalações dos manifestantes na praça;
  • manteve o governo nomeado pelo Mubarak.

Nenhum comentário: