24 maio 2013

A publicidade governamental do Governo Jatene, a Griffo, o jornalismo paraense...

Há alguns dias a jornalista Ana Célia Pinheiro, do blog A Perereca da Vizinha anunciava que começaria uma guerra contra a comunicação do Governo Jatene
Vamos agora jogar num rítmo novo, com algumas “surpresinhas” – ou vocês não gostam de surpresinhas, “coleguinhas”?
“Coleguinhas” é um coloquialismo usado pelos jornalistas de Belém para se referirem, com cinismo, ao cinismo de seus colegas, dos quais não se costuma esperar senão o fogo amigo.
Os posts começaram, em seguida, construindo um perfil de Orly Bezerra, proprietário da Griffo, a agência de publicidade responsável pelo marketing do PSDB no Pará.
Hoje, Ana Célia Pinheiro publicou um post com o levantamento dos repasses de dinheiro público do Governo Jatene para a Griffo: R$ 70 milhões - e penduricalhos, como empregos a parentes. O post também questiona a idoneidade do processo licitatório que levou a Griffo a mais uma situação de dominação das contas da comunicação governamental, no Pará.
Ainda que tenha faltado dizer que a maior parte desse dinheiro serve para alimentar os veículos de comunicação dominantes do estado, Ana Célia está certíssima na sua leitura desse processo. A simbiose contemporânea entre política e comunicação acaba produzindo situações complexas de poder, com essa. Situações anti-democráticas e de corrupção que tornam a política refém de processos de comunicação que não obedecem ao interesse público, mas sim, exclusivamente, ao interesse privado.
Ana Célia estabelece uma diferença fundamental, que deveria ser compreendida pela sociedade civil e, sobretudo, pelos alunos de comunicação, futuros atores desse cenário:
E é preciso fazer esta diferença: jornalista é aquele que quer a informação para repassá-la ao distinto público. Lobista da comunicação é aquele que quer a informação apenas para negociá-la em troca de dinheiro, cargos, ou sabe-se lá o quê.
E sua conclusão, que todos conhecemos muito bem, é evidente:
E, infelizmente, neste governo do chefe de quadrilha que é Simão Jatene, os lobistas dão as cartas no jornalismo do Pará.
É evidente que o mal não é exclusivo do Governo Jatene. Sejamos honestos: essa simbiose está presente na base do sistema político contemporâneo. Independentemente do lugar no espectro político, que os governos ocupem, é a política que é vulnerável. Alguns países encontram meios para regulamentar e para acompanhar a comunicação governamental e pública. Não é o caso do Brasil.
Província dominada por interesses privados, colônia eterna, o Pará é apenas um caso dramático. Os sintomas são uma comunicação que obedece a influxos de intriga, compadrio, calúnia, medo, rancor... A tarefa de informar cede espaço a
Especialistas em retorcer informações, (que) bisbilhotavam até as cuecas das lideranças oposicionistas, para transformar qualquer coisa em escândalo. E quando nada encontravam, simplesmente, inventavam. Bastava um copo de uísque em um bar para que o sujeito virasse um “alcoólatra”; um comentário incisivo, para que virasse um “desequilibrado cheio de ódio”.
É todo um modus operandi. A ação orquestrada do boato sobre a extinção do Bolsa Família vem, muito, muito provavelmente, das hostes tucanas. O PSDB é o partido que, no Brasil, faz com profissionalismo esse tipo de comunicação. E como sempre, no Pará, excessos.

Aconselho a leitura. E aguardemos os próximos posts, porque eles começam a pautar o jogo eleitoral de 2014.

36 comentários:

Anônimo disse...

O governo Jatene é uma vergonha, é o pior governo da história do Pará. É só corrupção e publicidade falsa.

Anônimo disse...

Os governos do PSDB criaram uma cultura de corrupção na área da comunicação, no estado do Pará. Estabeleceram uma cadeia clientelista de fornecedores, acostumando-a ao extra do fim do mês e impuseram aos jornais, rádios e TVs uma cultura de mediocridade. O objetivo desse ciclo é claro: desestabilizar a opinião pública, introjetar na sociedade uma cultura de elogios aos tucanos, expurgar os elementos críticos ao governo e, de quebra, guardar dinheiro para as campanhas políticas. De início, o governo da Ana Júlia tentou romper esse ciclo, mas não conseguiu. Depois, se deu conta que tinha que fazer o mesmo jogo, para continuar no poder, mas aí ficou tarde, não deu mais tempo. Pobre Pará.

Anônimo disse...

Tudo isso é lamentável. O Pará acaba sendo, de fato, um estado arcaico, governado por um sistema de poder autoritário e atrasado. Essas coisas acontecem e ninguém faz nada. Aposto como o governo do Jatene não vai sequer se dignar a prestar algum esclarecimento para a população. Os dados que a jornalista Ana Célia apresenta são precisos, indubitáveis, incontestáveis. O seu comentário sobre eles é demolidor. Mas aposto que o PSDB do Pará vai continuar de pé e que o Orly Bezerra vai continuar fazendo o que quer, sem precisar dar satisfação a ninguém.

Anônimo disse...

Estimado Fábio,
O problema que você coloca em discussão, a partir dos dados que a jornalista Ana Célia apurou, são da maior importância. Sua contribuição tem sido importante na reflexão sobre a comunicação, em nosso estado e mesmo no país, mas é preciso considerar que você é professor de uma universidade que formou a maior parte desses jornalistas corruptos que fazem parte do Governo do PSDB - e dos que não fazem também... . Gostaria de ouvi-lo a respeito dessa dimensão do problema. Pergunto a você se a UFPA percebe, efetivamente, a dimensão desse problema e se tem algum empenho em minorar esse fato. E também lhe pergunto qual a sua opinião a respeito da função da universidade nessa questão. Permita que eu não me identifique, porque transito pelo governo e pela nossa universidade, e seria complicado explicar, ao governo, ao menos, que é possível ter um senso crítico e, ao mesmo tempo desempenhar uma função política.

Anônimo disse...

Dai vem a velha questão que cabe nos comentários postados nas redes sociais. "seria uma técnica da esquerda acusar a oposição do que ela faz?o lucros do boato do fim da bolsa família não é do governo do pt ao prender o povo com "nunca haverá o fim da bolsa família enquanto estivermos no governo".
è um modo de meter medo e dependência no povo que vota.
Basta ver o posicionamento cínico do Sassá Mutema.
www.youtube.com/watch?v=VHoluSja-Ws

Não vou ver este comentário pois não?
Testando a democracia da esquerda.

Fabio Fonseca de Castro disse...

Caro colega, anônimo, das 18h54, penso que não:

Acho que a UFPA não percebe toda a extensão desse problema e que permanece, como em em relação a tantas outras questões da sociedade amazônica, completamente alheia. A Faculdade de Comunicação, inclusive. O empenho é mínimo. Sou crítico do curso no qual ensino e gostaria que meus colegas percebessem que é fundamental desenvolver de maneira mais crítica o ensino da comunicação.

Tenho colegas que ainda pensam que a universidade pública deve preparar profissionais para o MERCADO. Ridículo: a universidade pública devem preparar profissionais é para a sociedade. O mercado está dentro da sociedade; e, assim, a sociedade não se resume nele, não se concentra nele. A UFPA está cheia de imbecis, como o Pará inteiro e como, talvez, o planeta, infelizmente. Por isso, minha opinião é que o curso de comunicação deveria começar com uma disciplina chamada ECONOMIA POLITICA DA COMUNCAÇAO NA AMAZONIA, na qual fosse dito, com todas as letras, quais os interesses econômicos, partidários e sociais que envolvem os meios de comunicação na região, particularmente no estado do Pará. E em seguida deveríamos ter uma disciplina denominada ÉTICA E DEONTOLOGIA DA COMUNICAÇAO, que lançasse as bases do que deve ser a ação social de um comunicador num mundo com padrões de decência e de responsabilidade.

Você também me pergunta sobre a função da universidade pública nessa questão. Pois então, o que lhe digo é que ela deveria ser da maior importância. O professor de universidade pública conta com um beneplácito: ocupa um cargo federal. Isso lhe permite, teoricamente, defender a sociedade, atuar com bom senso, participar e mover o debate público. Acredito profundamente nisso. Porém, o que é evidente, é que essas pessoas não se dão conta das possibilidades e das responsabilidades que os envolvem. Tenho colegas que, realmente, me decepcionam. Sei que, ao dizê-lo, consigo desafetos, alguns inimigos, mas isso tudo faz parte, enfim...

Fabio Fonseca de Castro disse...

Anônimo das 17h03,

Prestar contas dos atos públicos e participar do debate político é condição para a democracia. E, sim, concordo com você: o governo provavelmente vai fazer ouvidos de mercador.... e fingir que nada aconteceu.

Fabio Fonseca de Castro disse...

Anônimo das 16:17,
Concordo. Há muito a dizer nesse sentido e seria bom que o PT pensasse a respeito.

Fabio Fonseca de Castro disse...

Anônimo das 14:51,
E acrescentaria a INÉRCIA na sua lista.

Fabio Fonseca de Castro disse...

Anônimo das 19:48,

Bom, o PSDB (provavelmente) lança um boato e a culpa disso é do PT ???????

Que ridículo, não???

Anônimo disse...

Culpa? vc leu culpa? eu vi lucro politico, mas vc não vai ver isso, não é?

Fabio Fonseca de Castro disse...

Culpa é uma palavra que indica a responsabilidade pelo ato. Quem espalhou o boato sobre a extinção do Bolsa Família foi, evidentemente, o PSDB. Por que razão o PT o faria? Quem tem culpa nessa história??? E onde vc fala em lucro político eu só vejo ônus político - do PSDB e da direitada, é claro....

Anônimo disse...

Explicando "os comunistas são maus e por isso explodiram uma bomba la no rio centro" colocaram a culpa na oposição.
Hum, não te parece a mesma técnica para culpabilizar a oposição para tirar lucro do fato, para posar de "o único partido que não vai acabar com o bolsa familia". Ou será que o PT não fez isso quando acusou a oposição durante a campanha?

Anônimo disse...

Até parece que a comunicação do governo do PT foi diferente...

Anônimo disse...

Agora regionalizando, a produtora KL cresceu muito no governo do PT, o programa Atitude sempre foi claramente petista, Liga a produtora a este cresceimento e vc vai ter o Orly Bezerra do PT la na KL.

Fabio Fonseca de Castro disse...

Anônimo aí das 19:48, 20:51, 21:12, etc,

Fato: o boato foi espalhado de maneira técnica, com ações articuladas em mídia e telefone. Esse boato que é contra o governo do PT, não pode ter sido produzido pelo próprio PT, que te (por sinal) a maior aprovação que um governo brasileiro já teve em sua história.

Outro fato: a bomba no Riocentro foi armada por militares para culpar a esquerda. Mas não colou, porque o truque foi mal feito e as evidências, abundantes, o comprovam.

Nos 2 casos se vê, apenas, artimanhas discursivas do campo retrógrado - entendeu? posso soletrar: re-tro-gra-do, da sociedade. Entendeu agora?

Olha, vou te dar uma dica de lógica: A = A, A ≠ B. Sacou? É simples.

Posso lhe dar um conselho? Esquece essas elucubrações discursivas tipo teoria da conspiração, que elas não vão colar.

Fabio Fonseca de Castro disse...

Anônimo das 21:18,

Comparação fraca, essa. A KL nunca recebeu R$ 70 milhões do governo do PT. Nunca. Nem mesmo um décimo disso. Olhe o papel histórico da comunicação do PSDSB e olhe o do PT.

Sou crítico da comunicação do PT, a nível nacional e nos vários estados que o PT governa ou governou, inclusive no Pará, mas essa jogatina de influências... não, não tem paralelo. NÃO é a mesma coisa.

Anônimo disse...

Permita voltar ao debate sobre o papel da Universidade na reflexão sobre um fato dessa natureza. A universidade pública não está a margem da sociedade, ela interage com ela, todos os dias, em todos os campos e em todos os assuntos. Você parece considerar que o papel da universidade só tem sentido quando ela se coloca partidariamente. Porém, o fato é que o PT não está acima do bem e do mal. Aliás, muito pelo contrário. Portanto, lhe pergunto: será que você não está confundindo as coisas? Será que não está confundindo a partidarização da universidade pública com a missão de reflexão dessa mesma universidade?

Anônimo disse...

Até parece que o PT faz diferente, né professor? Seja no governo federal, seja no governo do Pará, diga lá se não vemos as mesmas figuras: a do marketeiro, a dos jornalistas pilantras, a dos intermediários?

Anônimo disse...

Até parece que o PT faz diferente, né professor? Seja no governo federal, seja no governo do Pará, diga lá se não vemos as mesmas figuras: a do marketeiro, a dos jornalistas pilantras, a dos intermediários?

Fabio Fonseca de Castro disse...

Ao Anônimo das 21:57,

É claro que a universidade pública não deve estar a margem da sociedade e que é legítimo que, nela, estejam presentes todos os matizes do espectro político. Claro que sim!

Por isso mesmo é legítimo que eu exponha e debata minha percepção, de acordo com matizes que compreendo como corretas, tendo feito anamnses (ou o que você quiser que eu faça) e ponderações sobre a realidade....

Da mesma forma, é claro que o PT, ou outro qualquer partido, não está acima do bem, do mal, ou de qualquer outro degrau escatológico que vc desejar estabelecer.

Inclusive, minha posição sempre foi crítica, ao PT ou a qualquer aspecto da vida política, quando julguei necessário, ainda que eu seja filiado ao PT.

E é por tudo isso que não, caro amigo, não estou confundindo partidarização com reflexão.

Tenho posição e a coloco. A você de debater. Jã não basta?

Fabio Fonseca de Castro disse...

Anônimo das 23:19,

A sociedade é cheia de marqueteiros, de jornalistas pilantras e de intermediários. Eles também estão no PT? Claro que sim! Isto está dito no post, quando afirmo que

....essa simbiose está presente na base do sistema político contemporâneo. Independentemente do lugar no espectro político, que os governos ocupem, é a política que é vulnerável....

Vc leu esse trecho, entendeu?

Agora, convenhamos... não tem nem comparação entre PT e PSDB... diga lá se estou errado?

Compreenda as circunstâncias históricas. O PSDB instala e faz andar o sistema da corrupção. Esse é o fato histórico maior...

Luíza disse...

Ei Fábio, esse anônimo que fala da universidade o tempo todo tem cara de ser de lá... Mas não tem nem CARA E NEM CORAGEM pra mostrar a cara delel aqui! Pobre, né!

Anônimo disse...

Como sempre a esqeurda só acredita no que lhe convém, usando de um argumento fraco que se dissipa quando a própria caixa - que tem pézinho do govenro faz o favor de "alterar Bolsa Família na véspera de boato sobre programa".

Teoria da conspiração ou experiencia em mentir, enganar até os mais ditos cultos da sociedade. Com a experiencia do RioCentro, parece que matar o Celso Daniel foi apenas um exercicio para encobrr seus passos. Parece que o professore de comunicação precisa ver algumas publicidades cubanas e soviéticas para entender "informações distorcidas" da realidade geradas com o intuito de culpabilizar o outro. Nunca foi usado isso não é Fabio? Só a direita é que sabe fazer isso?

Usando de extrapolação - troca tudo que vc sabe sobre propaganda Nazi e coloca a palavra esquerdista, é a mesma nuance de mentira e ocultação de informações.

Sobre a KL, vc cre mesmo em documentos oficiais? vc não acha estranho que dia 29 de dezembro algumas centenas de notas na grafica da antonio barreto. Estranho que a imprensa esquerdista não se preocupe em mostrar também a sua corrupção. Falta só um pouco mesmo para vc entender que este boato não beneficia o PSDB em nada, por isso ele não perderia tempo fazendo isso. Porém Beneficia e muito o PT, e por isso ele fez e fará isso outras vezes.

Anônimo disse...

Ao que parece o desconhecimento ou talvez a intenção de esconder a históia do PT tenha lhe feito esquecer que a comnicação sempre foi arma da esquerda - seja ela no Brasil ou outro país - Vou tentar te lembrar, o LULA era radical, de repente com campanhas publicitárias ele se tornou "paz e amor", 20 anos falando mal de politicas de assistencia, 20 anos falando contra politicas "neoliberais", que privatização era uma coisa ruim...advinha que isso deu? a eleição dele. Vc dizer que ele tem aprovação não significa muito para um povo que tem a cultura quase de politica primitiva (pão e circo), informo vc: esta balela que vc diz que acredita - porque no fundo vc gosta de dinheiro, deves achar uma vergonha teu salário e outras coisas que a esquerda sente mas não fala - não tem lugar e nunca deu certo em lado nem um. Temos é de criar ambiente para descobrir talentos e inovação e não ficar "dando peixe".

Um cara com tanto conhecimento em comunicação que se abala com noticias do jornal nacional e não tece uma critica ou avalia quem se beneficiou com este "boato". Vou ler noticias, dá mais certo.

PS: "Caixa alterou Bolsa Família na véspera de boato sobre programa
" - tente entender a noticia.

Edvaldo disse...

No governo Jatene jornalismo e publicidade são a mesma coisa.

Anônimo disse...

Descrição da comunicação no governo Jatene: A Secom é o noves fora, que só faz bobagem e a Griffo é onde a coisa acontece. O Ney Messias teve um pega com o Orly, em março, mas isso só serviu para colocar ele no lugar devido, o de bichinho de pelúcia do governo. A Funtelpa segue sem proposta, repetindo a velha fórmula da mesmice. O Orly dá as cartas, faz o que quer. Pelo menos corrige os erros da Secom e mantém a bola em jogo.

Fabio Fonseca de Castro disse...

Anônimo das 9:44, sim, sim, é claro que sim. Releia o post. Jamais disse que somente a direita pratica esse sofismo pós-moderno. Também a esquerda. Releia o post... Mas aqui estou falando sobre um assunto específico, como vc poderá perceber, imagino. E aí vc começa a tentar desviar o assunto... apelar para agressões. Atenha-se aos fatos. Não desvie, não fuja do tema...

Anônimo disse...

Plenamente de acordo, Fábio.

O PT ainda exita entre uma comunicação medíocre, que faz o jogo dos poderes instituídos e reproduz as fórmulas da aparência, e uma comunicação realmente de esquerda, libertadora, séria, honesta. O PSDB fez a sua escolha. Ao PT de decidir: terá coragem de romper esse ciclo ou não? Vai pactuar com ele para continuar no poder?

Anônimo disse...

Concordo também, no sentido de que a comunicação governamental tem de ter responsabilidade e não fazer pessoalismos. Mas em que medida uma comunicação honesta pode, realmente, ser feita. Qual é a fórmula?

Fabio Fonseca de Castro disse...

Aos dois últimos anônimos que aí escreveram, coloco o seguinte: O PT não possui, realmente, política de comunicação. Nem o partido e nem os seus governos, em todos os níveis. É minha opinião. O debate não foi feito e as estratégias variam entre a reprodução do modelo personalista dos outros partidos e compromissos vazios como uma "democratização da comunicação" que resta retórica. Sei disso porque, como sabem, ocupei a Secom durante o governo AJ. Nunca houve uma percepção clara sobre qual deva ser a responsabilidade da comunicação governamental e pública e os limites foram grandes nesse campo.

Em relação à possibilidade de uma comunicação ética e ao mesmo tempo eficiente, as opções são muitas. Tenho escrito sobre isso por aqui no blog, de tempo em tempo. Há muitas experiências que merecem ser pensadas, e o fundamental, penso, é estimular a participação social.

Fabio Fonseca de Castro disse...

Este post, ao que parece, a considerar o número de comentários e consultas, incomodou algumas pessoas. Algumas delas me enviaram comentários grosseiros e ofensivos que, evidentemente, são impublicáveis. Sua intenção, é claro, é a da pura intimidação. Nem quando estávamos no Governo, e nem agora, tive, ou tenho, a mínima atenção para esse tipo de coisa. Só que não me conhece vai achar que me deixo perturbar, o mais minimamente, por esse tipo de coisa. Cortesia e sangue frio antes de tudo.

Além disso, sempre mantivemos, aqui neste blog, limites de civilidade e sempre fomos propositivos, aceitando debates, quando propostos de maneira respeitosa. Seguimos com a mesma disposição, mas não esperem que eu publique vossas bobagens.

Por fim, percebam que meu post é um simples, um simples, comentário. É preciso ver os dados no blog Perereca da Vizinha. Eles estão lá, e claros.

Francisco Carlos disse...

Caríssimo Fábio,
Imagino o que você não deve estar recebendo dessa tucanalhada. Ainda bem que você tem sangue frio, pra lidar com eles é preciso, só eu sei! Parabéns pelo post, que, pelo que vi já repercutiu até no Rio Grande do Sul. Estamos esperando que a Carta Capital faça uma varredura nessas contas desse governo!

Anônimo disse...

Acabei de ver o que você postou no facebook. É impressionante com esses tucanos continuam recorrendo aos velhos métodos de intimidação, chantagem e corrupção para conseguirem o que querem. É a tropa de choque da comunicação: ameaça e berro. Todo apoio.

Anônimo disse...

Qualquer coisa é só vc avisar o José Dirceu que ele manda matar como fez com o Celso Daniel. Como método de intimidação funciona.

Anônimo disse...

Esses são os métodos. O PSDB está aperreado. O governo do Jatene está sendo medíocre e, pelo que se fala, não está conseguindo guardar calorias para a campanha. Vão atirar para todos os lado, inclusive recorrendo a jogos desse tipo. Sinais de intimidação estão por todos os lados.