11 fevereiro 2011

Empresas de Eike Batista perdem R$ 11,7 bilhões

O valor de mercado das empresas de Eike Batista, o homem mais rico do Brasil, recuaram em R$ 11,7 bilhões neste ano até ontem na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovepsa), mostra um levantamento da consultoria Economatica. O valor das companhias caiu de R$ 87,2 bilhões no final do ano passado para R$ 75,4 bilhões no último fechamento da Bolsa, ou em sete pregões.

Famosas por suas ofertas públicas iniciais de ações (IPOs) bilionárias, as empresas LLX (logística), MMX (mineração), MPX (energia elétrica), OGX (petróleo), OSX (estaleiro) e Portx (portuária) apresentaram uma queda média de 13,51% na Bovespa neste ano. É um tombo maior que o do Ibovespa, índice de referência da Bolsa, que caiu 7,34% nesse mesmo período, segundo dados da consultoria.

Mas os analistas afirmam que a queda acima do índice está ligada a maior volatilidade dos papéis das empresas de Eike. Os papéis são considerados de risco porque parte das empresas está em fase pré-operacional. Quando a Bovespa entra em um período de alta, por outro lado, os papéis muitas vezes tem um desempenho acima da média do restante do mercado.

Desde que foram lançadas, as ações das cinco empresas de Eike listadas em Bolsa ganharam R$ 27,2 bilhões em valor de mercado. Os IPOs vem sendo feitos na Bovespa, ano a ano, desde 2006.OGX liderou perdas

A empresa com a maior queda de valor de mercado em valores é a OGX, que perdeu R$ 9,5 bilhões. Esse número multiplica o número de ações em circulação da companhia pelo cotação na Bovespa. A ação ordinária (ON, com voto) da empresa caiu 14,8%. Entre as ações a que teve o maior recuo foi a da MMX com queda de 18,7%, das seis ações somente a da empresa MPX Energia teve rentabilidade positiva no período com 21,9% de alta das ações.


Via Globo Online.

Nenhum comentário: