09 fevereiro 2011

O museu vai à prisão, ao asilo, ao hospital e ao orfanato...

O lugar é improvável: um longo e alto muro de concreto, no patio de uma prisão. Lá, estão pendurados 10 grandes quadros, 10 pinturas de grandes mestres. Dentre eles, La Diseuse de bonne aventure, de Caravaggio, e La Madeleine à la veilleuse, de De La Tour. Os expectadores são, também eles, improváveis: 230 detentos, dos quais 80 % condenados a penas de mais de vinte anos de reclusão. 

O programa chama-se "Au-delà des murs" (For a dos muros). É um projeto instigante desenvolvido pelo Museu do Louvre: levar grandes obras para dentro das prisões francesas. O próprios detentos escolhem, por votação, que obra desejam ver. 

O projeto também está chegando a asilos, orfanatos, hospitais e a outros dos chamados “públicos impedidos”. 

A exposição em questão foi inagurada no dia 26 de janeiro, na prisão central de Poissy.

Nenhum comentário: