03 outubro 2011

Os escroques da Fifa desejam transformar a entidade num Estado paralelo


Fiquei impressionado com o que li, ontem, no UOL Esporte:

A Fifa pediu ao governo brasileiro que, durante o período de realização da Copa do Mundo no país, em 2014, suspendesse o Código de Defesa do Consumidor, o Estatuto do Idoso e o Estatuto do Torcedor. A ideia da entidade que organiza o Mundial de futebol era ter liberdade absoluta para decidir o preço dos ingressos, não disponibilizar meias entradas para idosos e estudantes e não ter que eventualmente indenizar consumidores por eventos cancelados ou adiados.

A informação é do ministro do Esporte, Orlando Silva, que participou na tarde desta sexta do programa televisivo Arena SporTV e disse, com todas as letras: "a Fifa solicitou que suspendêssemos o Estatuto do Idoso, o Estatuto do Torcedor e o Código de Defesa do Consumidor". O pedido aconteceu dentro do contexto de debate para a formatação do projeto da Lei Geral da Copa.

2 comentários:

Anônimo disse...

e a cara deles nem treme né? Madeira pura e mais do que perobada!

Eliane Cezar disse...

Parece-me que eles tiveram êxito em algumas exigências na África do Sul. Lá, em jogos "normais", não há venda de bebidas alcoólicas nos estádios, mas nos jogos do mundial a venda foi liberada. Tomara que nosso governo mantenha-se firme e não deixe a FIFA falar mais alto que nossas leis.