03 outubro 2011

Lei "Pai d'Égua": pérola do ridículo

Reproduzo esse preciosismo, que deverá entrar para os anais legislativos brasileiros como exemplo de espalhafatismo cultural e de um parlamento que não está preparado para defender, realmente, a sociedade que representa: seja por reduzir a identidade e a cultura a formas icônicas banais, enfraquecendo-as; seja por reduzir a dimensão conflitiva da cultura e da sociedade a padrões superficiais de identidade. Será que, depois dos escândalos havidos, ninguém tem nada melhor para fazer na Assembléia Legislativa do Estado do Pará?

2 comentários:

Eliane Cezar disse...

Impressionante como nossa assembleia legislativa consegue se superar nos absurdos. Definitivamente, as prioridades desses senhores são diferentes das do povo, infelizmente.

Anônimo disse...

é impressão minha ou ainda erraram na crase na "explicação" do "só te digo vai"?