13 novembro 2011

Sobre as campanhas do Sim e do Não 2

Também acrescento algumas outras coisas básicas que o Não não está fazendo e que deveria fazer – e já:
  • Deveria derrubar logo esse cálculo que o Sim em torno das transferências de recursos federais aos estados; é um cálculo errado, mas está colando; 
  • Deveria mostrar que, ainda que o volume das transferências subisse, as despesas também subiriam;
  • Deveria bater na tecla da corrupção: deveria mostrar “quem está de olho”  nas riquezas do Pará; quem está de olho no volume das transferências federais; quem está de olho nos cargos públicos criados, etc; 
  • Deveria fazer um fala povo, e mostrar gente de todo o estado falando contra a divisão; 
  • Deveria fazer analogias claras. Por exemplo, mostrar a catástrofe administrativa que é o Amapá: deveria mostrar as operações da Polícia Federal acontecidas no ano passado lá e que prenderam boa parte do Legislativo, do Executivo e até do Judiciário desse estado; 
  • O Amapá é uma grande analogia: o Não deve mostrar também o caos que é o sistema de saúde do Amapá e lembrar que a população desse estado, por pura ausência de saúde pública em seu plano mais elementar, vem se tratar em Belém; 
  • Aliás, deve mostrar que o antigo hotel Zoghbi, no Comério, virou um albergue para receber os cidadãos desse estado e que precisam vir se tratar em Belém; simplesmente porque a corrupção local, historicamente, desvia recursos carimbados (!) para a saúde; 
  • Outra analogia possível e necessária é com Roraima: o Não deve dizer que, nos últimos 30 anos, seguindo a tendência contrária de todos os outros estados brasileiros, e por pura corrupção local, a diferença entre os mais ricos e os mais pobres aumentou em 22%,  enquanto que a media nacional foi de uma redução, nessa diferença, de -22%; 
  • É fundamental perguntar o velho “a quem interessa?” a divisão, mostrar os interesses privados por trás disso; 
  • Se tiver coragem, mostrar a ficha sujíssima dos políticos comprometidos com a divisão.

4 comentários:

Anônimo disse...

É caríssimo professor, se vê bem que o sr. vota NÂO!

Anônimo disse...

Vamos ver se a campanha do NÂO muda. Dê agora umas dicas para o SIM melhorar. A campanha tá linda... mas como o sr. disse, pode cansar.

Anônimo disse...

Se claramente o professor vota no NÃO, pq ele daria dicas para o SIM melhorar? aff... Talvez para ser coerente com sua carreira de professor! Mas só isso não basta para "ajudar" o SIM.

Anônimo disse...

Ei, Anônimo das 14:06, o professor Fábio não está "dando dicas", está fazendo comentários, que são oportunos e equilibrados, até mesmo para que o Não entre nos eixos e supere suas disputas internas, que estão fazendo um estrago dando e que podem prejudicar o resultado do plebiscito. Se vc não é capaz de entender isso, é porque para você só vale o Não pelo Não, o Não porque Não, o debate raso e superficial, que é justamente o que o professor está criticando. Vê se te toca.
Dr. Abel.