Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2012

O quadro final das conquistas partidárias

O desempenho final de cada partido. É um quadro simplesmente quantitativo, não leva em conta a diferença entre os espaços de poder conquistados e perdidos, mas ajuda a compreender o cenário geral da disputa partidária. Do site Congresso em Foco: PMDB 2008 –  1194      2012 –  1026      Desempenho:  168 prefeituras a menos PSDB 2008 –  781      2012 –  702      Desempenho:  79 prefeituras a menos PT 2008 –  544      2012 –  635      Desempenho:  91 prefeituras a mais PSD 2008 –  0      2012 –  496      Desempenho:  496 prefeituras a mais PP 2008 –  549      2012 –  468      Desempenho:  81 prefeituras a menos PSB 2008 –  308      2012 –  440      Desempenho:  132 prefeituras a mais PDT 2008 –  347      2012 –  312      Desempenho:  35 prefeituras a menos PTB 2008 –  410      2012 –  295      Desempenho:  115 prefeituras a menos DEM 2008 –  493      2012 –  278      Desempenho:  215 prefeituras a menos PR 2008 –  385  

A grande vitória política do PT, que não se resume a SP

Da Carta Maior A grande vitória política que está ao alcance do PT O PT tem uma grande vitória política ao seu alcance no segundo turno das eleições municipais que ocorre neste domingo. E essa vitória não se resume à possibilidade de uma vitória de Fernando Haddad na maior cidade do país. No ano em que o conservadorismo e seus braços midiáticos sonhavam com a derrocada do partido, em meio ao julgamento do mensalão, o julgamento do voto popular subjugou o processo que pretendia colocá-lo de joelhos. O PT não só está fazendo a maior votação do país, como renovou seus quadros e está abrindo uma nova possibilidade de futuro para políticas que enfrentam grande resistência. Marco Aurélio Weissheimer O Partido dos Trabalhadores (PT) tem uma grande vitória política ao seu alcance no segundo turno das eleições municipais que ocorre neste domingo (28). E essa vitória não se resume à possibilidade de uma consagradora vitória de Fernando Haddad em São Paulo. A sua dimensão maior é de natur

Gráfico: O desemprego na Europa

Alexandre Padilha deve transferir seu domicílio eleitoral para São Paulo

Uma nota publicada no UOL informa que o  ministro da Saúde, Alexandre Padilha, está transferindo seu domicílio eleitoral para a capital paulista, o que o deixará em condições de concorrer pelo PT contra, muito provavelmente, o governador Geraldo Alckmin, que tentará sua segunda reeleição, em 2014. Padilha, que morou em Santarém durante alguns anos, acompanha de perto a política paraense e era considerado um dos nomes possíveis para disputar o governo paraense, pelo PT, em 2014. Apesar do título eleitoral paraense, Padilha mora entre Brasília e São Paulo, onde acompanha de perto toda a movimentação de seu ex-colega Fernando Haddad e tem influência sobre o candidato. 

Novo número da Brazilian Journalism Research

Foi publicado o novo número da Revista Brazilian Journalism Research, editada pela Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor).  Essa edição traz o dossiê “Mídias digitais, convergência e prática jornalística: desafios e perspectivas”.  O endereço da revista. http://bjr.sbpjor.org.br/bjr/issue/current  E o índice: Dossiê: Mídias digitais, convergência e prática jornalística: desafios e perspectivas  DA REMEDIAÇÃO À CONVERGÊNCIA: UM OLHAR SOBRE OS MEDIA PORTUGUESES João Canavilhas  CONVERGÊNCIA E TRANSMÍDIA: GALÁXIAS SEMÂNTICAS E NARRATIVAS EMERGENTES EM JORNALISMO Geane Alzamora, Lorena Tarcia  O ESTADO DOS BLOGS NA MÍDIA ESPANHOLAKoldobika Meso Ayerdi, Maria Bella Palomo Torres  A CONVERGÊNCIA COMO INSTRUMENTO DE RENOVAÇÃO/CONSERVAÇÃO DO JORNALISMO EM GALÍCIA: ESTRATÉGIAS E INDEFINIÇÕES Xosé López Gárcia, Moisés Limia Fernández, Carlos Toural Bran, José Pereira Fariña  UM TEMA E MUITOS CAMINHOS: A COMUNICAÇÃO TRANSMIDIÁTICA NO JORNALI

Sociedade civil pressiona pela reforma política

Do Congresso em Foco: Integrantes de movimentos sociais se reuniram nesta quarta-feira (17) com deputados e senadores para apresentar uma série de propostas de iniciativa popular para a reforma do sistema político brasileiro. Dentre as sugestões, o movimento defende a democracia direta com maior participação popular, o fim dos privilégios parlamentares e do foro privilegiado, além da diminuição das exigências para apresentação de projetos de iniciativa popular, como a redução de 1,5 milhão de assinaturas para 450 mil. Os grupos reivindicaram ainda que o Congresso dê prioridade para a tramitação de projetos dessa natureza. As entidades integram a Plataforma dos Movimentos Sociais pela Reforma do Sistema Político e o Movimento de Combate a Corrupção Eleitoral (MCCE). A exemplo da Lei da Ficha Limpa, eles pretendem apresentar um projeto de lei de iniciativa popular, para o qual recolhem assinaturas há seis meses em todo o país. “Precisamos obter 1,5 milhão de adesões e por isso

Papos e ideias em ciência

O declínio do PSDB, por Emir Sader

Reproduzo o excelente artigo de Emir Sader, publicado na Carta Maior, sobre a trajetória do PSDB. Cabe escrever um adendo ao percurso do partido, com todos os seus escândalos, no Pará: Os tucanos, do começo ao fim Emir Sader Os tucanos nasceram de forma contingente na política brasileira, apontaram para um potencial forte, tiveram sucesso por via que não se esperava, decaíram com grande rapidez e agora chegam a seu final. Os tucanos nasceram de setores descontentes do PMDB, basicamente de São Paulo, com o domínio de Orestes Quercia sobre a secção paulista do partido. Tentaram a eleição de Antonio Ermirio de Morais, em 1986, pelo PTB, mas Quércia os derrotou. Se articularam então para sair do PMDB e formar um novo partido que, apesar de contar com um democrata–cristão histórico, Franco Montoro, optou pela sigla da social democracia e escolheu o símbolo do tucano, para tentar dar-lhe um caráter brasileiro. O agrupamento foi assim centralmente paulista, incorporando a alguns

Impérios da Comunicação - lançado no Brasil o livro de Tim Wu

Lançado o livro "Impérios da Comunicação – Do Telefone à Internet, da AT&T ao Google", de Tim Wu, pela Zahar. O livro tem 432 pgs. e custa R$ 54,90. Reproduzo resenha do portal G1: Mais que apresentar uma história convencional das tecnologias e dos meios de comunicação, do telefone à Internet, ‘Impérios da Comunicação’ esboça uma teoria engenhosa, ainda que questionável: a de que essa história é marcada por ciclos que repetem o mesmo padrão. A um período inicial de abertura, democratização e liberdade, afirma Tim Wu, professor na Universidade Columbia, segue-se invariavelmente a formação de grandes monopólios da informação. Nas palavras do autor, todas as inovações tecnológicas, inicialmente transgressoras e revolucionárias, acabam criando indústrias, e indústrias criam impérios, sempre restritivos e conservadores. A grande questão é saber se a Internet, apesar de sua estrutura descentralizada, também deixará para trás seu momento libertário e democrático para ser

Meu novo artigo, sobre o NavegaPará, publicado na revista da Famecos

Publicado na  Revista FAMECOS: mídia, cultura e tecnologia, Vol. 19, No 2 (2012) - A2 no Qualis de Comunicação - o artigo que escrevi juntamente com Dayane Baía sobre o Programa NavegaPará. Seguem o resumo, o link para a revista e o link direto para o artigo. Uma experiência de inclusão digital na Amazônia: o Programa NavegaPará e o horizonte da democracia representativa. Limites e esperanças. Fábio Fonseca de Castro, Dayane Correa Pantoja Baía Resumo O objetivo deste artigo é refletir sobre a estratégia de Inclusão Digital na Amazônia tendo como referência o Programa NavegaPará, desenvolvido pelo governo desse estado em parceria com a Eletronorte, o Governo Federal, prefeituras municipais e organizações da sociedade civil. Procura-se compreender como o referido programa é concebido a partir da proposta de um mo-delo de desenvolvimento regional que crie alternativas para a con-dição de “desenvolvimento restringido” imposto à Amazônia pela mentalidade sudestina e, em o fazen

Inscrições abertas para o encontro regional de história da mídia, que acontece em Belém em novembro

Acontece em Belém, nos próximos dias 12 e 13 de novembro, o encontro regional da Associação Brasileira de Pesquisadores de História da Mídia – ALCAR. Trabalhos podem ser submetidos para os oito grupos de trabalho da Alcar: GT - História do Jornalismo GT - História da Publicidade e da Comunicação Institucional GT - História da Mídia Digital GT - História da Mídia Impressa GT - História da Mídia Sonora GT - História da Mídia Audiovisual e Visual GT - História da Mídia Alternativa GT - Historiografia da Mídia Os trabalhos devem ser enviados para o e-mail midianorte2012@gmail.com em formato PDF, seguindo o modelo padrão de submissão.  Somente poderão submeter trabalho para o evento os autores previamente inscritos no 2o Encontro Regional Norte de História da Mídia e no 2o Seminário de História, Cultura e Meios de Comunicação na Amazônia que enviarem a cópia do comprovante do depósito para o e- mail supracitado.   A taxa de inscrição no evento assegur