Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2012

Entrando numa fria

Pessoal, este post é para me despedir. Dentro de alguns dias partimos, eu, Marina e Pedro, para Montréal, Canada. Irei fazer meu pós-doutorado. Devemos passar entre 12 e 18 meses, a ver, conforme nos adaptarmos por lá e conforme caminhar meu trabalho. Assim que der retomo do blog. Por hora, os afazeres de viagem e, logo mais, as tarefas da adaptação à nova vida - com os aperreios de alugar casa, sistematizar a vida civil, abrir conta em banco, escola do Pedro, contas de energia, água, aquecimento, telefone,  internet,  etc - demandam tempo, concentração e paciência. Já chegaremos no inverno, o que, é claro, não é a coisa mais indicada. Afinal, se trata de invernos que vão a -40. E isso não tem jeito. É quase certo que a Marina vai entrar em algum tipo de processo de hibernação. O Pedro, coitado, vai enfrentar os desafios de uma escola nova, mas sei que ele gosta desses desafios, e, bem, ele tem savoir-faire da questão, e está animado, bem treinado no francês, curioso, curtindo cad

Muniz Sodré fala de racismo e manipulação da mídia

Em entrevista, Muniz Sodré fala de racismo e manipulação da mídia Do Sindicato dos Jornalistas do Rio, no Vermelho.org Muniz Sodré é negro, baiano, fala russo, alemão, iorubá e francês, é faixa-preta em caratê e jiu-jítsu. Mas não foi por isso que um dia, quando trabalhava na revista Manchete, agrediu fisicamente Adolpho Bloch – coisa que muito jornalista já teve vontade de fazer. Sodré completou 70 anos em 2012, no dia 12 de janeiro, e entre os vários eventos que lhe prestam homenagem, um leva o nome de um grande amigo. O Prêmio de Jornalismo Abdias Nascimento – organizado pela Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial (Cojira-Rio), ligada ao Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio – vai homenagear este professor emérito da Escola de Comunicação da UFRJ. Na noite de segunda-feira (12/11), em meio à entrega dos prêmios aos jornalistas vencedores, Sodré será chamado ao palco. Ele vai ouvir algumas palavras, por sua militância contra a discriminação racial e contribuiçã

novo portal das ciências sociais brasileiras

A criação do  Portal das Ciências Sociais Brasileiras  foi possível através de um investimento da FINEP no financiamento dos trabalhos desenvolvidos pela ANPOCS que agora estão disponíveis todas as atividades da associação e de seus centros e programas filiados. Conheça o portal  http://anpocs.org/portal/

Outro artigo meu publicado: Arqueologia do sujeito moderno: por uma crítica não metafísica da identidade

Mais um artigo meu nas ruas: "Arqueologia do sujeito moderno: por uma crítica não metafísica da identidade", publicado na Revista de Humanidades da Universidade de Fortaleza, vol. 27, no, 1, 2012, pp. 166-180. Aqui o link para a revista E aqui o link direto para o artigo. Segue o resumo: " Arqueologia do sujeito moderno: por uma crítica não  metafísica da identidade" "Archaeology of the modern man: for a non-metaphysical   critic of the identity" Prof. Dr. Fábio Fonseca de Castro Resumo O problema da identidade é um dos grandes temas da cultura contemporânea. De acordo  com certos autores, a exemplo de Ricoeur, as sociedades atuais estariam vivenciando uma  experiência de “descentramento” de suas identidades tradicionais, num processo que surge  com a substituição dos paradigmas de uma sociedade moderna pelos de uma sociedade “pósmoderna”. Este artigo propõe que o problema não é exclusivo de nossos tempos e que ele  estaria,

2º Encontro Regional Norte de História da Mídia e do 2º Seminário de História, Cultura e Meios de Comunicação na Amazônia

Convidamos a todos a participarem nos dias 12 e 13 de novembro, conforme programação em anexo, do 2º Encontro Regional Norte de História da Mídia e do 2º Seminário de História, Cultura e Meios de Comunicação na Amazônia, com o tema “Mídia: memória, cultura e Amazônia".  Os eventos são realizados pela   Universidade Federal do Pará, por meio do Programa de Pós-Graduação Comunicação, Cultura e Amazônia, da Faculdade de Comunicação e do Programa de Pós-Graduação em História Social da Amazônia, com apoio de outras instituições. O Encontro compõe a agenda de eventos desenvolvida pela Associação Brasileira de Pesquisadores de História da Mídia-Alcar. O objetivo é incentivar a discussão e o conhecimento sobre a memória da mídia no Norte do país, assim como vem sendo feito nas demais regiões brasileiras. A conferência de abertura será realizada pela profa. dra. Christa Berger (Unisinos), às 18h00 do dia 12 de novembro. Mais informações aqui:  http://historiadamid

Sobre o doutorado em Letras da UFPA

O comitê científico da área de Letras, da Capes, aprovou na semana passada o doutorado em Letras da UFPA. É uma notícia muito importante, porque a área tem grande importância para a formação de recursos humanos de qualidade na Amazônia. Ao contrário do que muita gente diz por aí, letras é uma área estratégica. E a pesquisa em letras, no Pará, tem um papel que extravasa os limites da disciplina: tem um papel político e sociocultural maior. O doutorado em Letras será oferecido já a partir do ano que vem. O Programa “Estudos Linguísticos e Estudos Literários” foi aprovado na última reunião do Conselho Técnico-Científico da Educação Superior (CTC-ES) da Capes e será o primeiro curso de doutorado do Instituto de Letras da Universidade Federal do Pará (ILC/UFPA).  O mestrado em Letras e Linguística existe desde 1987 e a área há muito aguardava pelo doutorado.

A estratégia da Globo para o futuro

Recomendo a leitura do texto seguinte, muito útil para compreender a disputa entre a Rede Globo e as empresas de telecomunicações e as dificuldades que as empresas de radiodifusão atravessam para fazer frente às mudanças provocadas pela convergência digital. A estratégia da Globo para o futuro Por Gustavo Gindre, no  Observatório do Direito à Comunicação : A saída da Globo do controle da NET Serviços deve ser analisada com muito cuidado. Segundo a visão deste blog, trata-se praticamente da conclusão de um processo que se iniciou há mais de dez anos, quando a Globo entrou em crise, incapaz de pagar suas dívidas. A decisão, então, foi manter o controle familiar do grupo (sem ceder participação patrimonial aos credores), mas vender quase tudo o q ue não estivesse relacionado diretamente com a produção de mídia. Foram vendidas fazendas, uma financeira (Roma), uma construtora (São Marcos) e vários outros negócios, muitos deles ligados à comunicação. A Globo

A tese de Marcello Gabbay sobre o carimbó de Soure

Participei, na última quarta, na UFRJ, da banca de doutorado do professor Marcello Monteiro Gabbay, apresentada ao Programa de Comunicação e Cultura dessa universidade. A tese tem por título "O carimbó marajoara. Apontamentos para um conceito de comunicação poética na geração de valor comunitário" e consiste num esforço gigantesco em sistematizar a história e o processo da experiência social do carimbó no município de Soure. A banca foi deliciosa: Marcello desenvolveu questões novas, à partir de provocações da banca e apresentou um vídeo que deu vida aos muitos personagens presentes no texto. Os colegas que estiveram comigo na banca foram o Paes Loureiro, o Michael Herschmann, o Muniz Sodré e a Raquel Paiva, orientadora do trabalho - os três últimos da UFRJ. Na minha arguição, além de algumas questões levantadas para o Marcello, registrei o que me pareceu ser as contribuições not;aveis que o trabalho traz para a pesquisa sobre cultura e comunicação na Amazônia: 1.

Umas palavras sobre o I Seminário “Dinâmica Agrária e Desenvolvimento Sustentável”, que aconteceu na semana passada

Na semana passada participei do  I Seminário “Dinâmica Agrária e Desenvolvimento Sustentável”, o rganizado pelo Dadesa, o  Grupo de Pesquisa Dinâmica Agrária e Desenvolvimento Sustentável (Dadesa), do Núcleo de Altos Estudos da Amazônia (Naea/UFPA),  em torno do lançamento simultâneo, de seis livros do prof. Dr. Francisco de Assis Costa, seu coordenador.  O evento foi pouco acompanhado pela sociedade local, pela inteligência local, pela UFPA em geral mas constituiu, certamente, um dos eventos científicos mais importantes dos últimos anos, e talvez de anos futuros, em toda a Amazônia. Explico: os seis livros lançados reúnem material anterior e inédito do prof. Francisco Costa, um material com potencial revolucionário, para quem estuda a Amazônia e, talvez mais além, para quem estuda o agrário, em geral. É que o Chiquito – apelido franqueado não só aos amigos, mas para todos os seus leitores – com sua obra, elabora uma matriz teórica nova, original, sobre a Amazô

Notas sobre a hegemonia do PSDB na região metropolitana de Belém

O Blog Ananindeua Debates me pediu, há mais de uma semana, uma breve leitura da situação de hegemonia alcançada pelo PSDB na região metropolitana de Belém, nas últimas eleições. Sendo bem objetivo, penso que a situação produz algumas tendências:  1. Com hegemonia e imenso controle sobre a máquina pública paraense, os tucanos vão diminuir a guarda, o autocontrole, o cuidado que aprenderam a ter quanto à sua visibilidade. Deverão voltar a cometer os excessos de poder que antes cometiam. Os erros de sempre, os rasgos de corrupção, o autoritarismo deverão aparecer mais. Com menos estruturas de vigilância, a tentação será grande, provavelmente incontrolável.  2. Com tal hegemonia, também vão trabalhar pouco, fazer o mínimo. Pobre de Belém, que passará da inépcia para a inércia...  3. A situação de hegemonia também favorece o projeto de higienização social liderado pelo secretário de cultura, Paulo Chaves: trata-se o projeto de virar as costas para a Belém real e

O que dizem os dois projetos sobre “cibercrimes”

PROJETO DE LEI 2793/2011 (Paulo Teixeira “e outros”) Acrescenta dispositivos ao Código Penal (Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940) para promover, entre outras providências, a “tipificação criminal de delitos informáticos” – estabelece pena de detenção de três meses a um ano e multa para quem devassar dispositivo informático alheio, conectado ou não a rede de computadores, mediante violação indevida de mecanismo de segurança e com o fim de obter, adulterar ou destruir dados ou informações sem autorização expressa ou tácita do titular do dispositivo, instalar vulnerabilidades ou obter vantagem ilícita; – mesma pena para quem produzir, oferecer, distribuir, vender ou difundir programa de computador com o intuito de permitir o crime de invasão de computadores ou de dispositivos eletrônicos como smart phone e tablet. Essa pena será aumentada de um sexto a um terço se a invasão resultar em prejuízo econômico; – pena de seis meses a dois anos de rec

Tempo quente na comunicação

A semana está sendo tensa – e importante – para a luta pela democratização da comunicação. Por um lado, a Câmara Federal adiou a votação do marco civil da internet. Por outro, os dois projetos que regulamentam os cibercrimes, o projeto de lei Azeredo e o projeto de lei Paulo Teixeira, travam uma corrida para ver quem vai ser aprovado... por último – é que, sendo duas leis que tratam da mesma matéria, a que for aprovada por último tem melhor condição de predominar na versão definitiva da lei. O rôlo com o marco civil da internet Divergências de mérito levaram ao adiamento, para a próxima terça-feira (13), do Projeto de Lei 2126/2011, que estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da internet no Brasil. É a terceira vez que o projeto é apresentado pelo Poder Executivo em agosto de 2011, a matéria é vista como uma espécie de Constituição do mundo virtual, a partir da qual a conduta dos usuários e as obrigações dos provedores de internet brasil