Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2009

Heranças à esquerda 1

A política da longa duração Propôs o jovem secretário de estado ao nobre deputado de esquerda: - Que tal organizarmos um debate sobre o futuro do socialismo no século XXI? E o deputado respondeu: - Mas para quê pensar nisso agora? Deixemos para depois, ainda temos 92 anos pela frente para fazer isso. O jovem secretário de estado, caminhando entre cenários e conjunturas, entre dogmas e planejamentos de Estado, ia aos poucos percebendo que são duas as políticas, e mais que duas as ausências de política. Em relação às duas políticas, ambas presentes na vida que é vossa e na minha, penso que a primeira delas é aquela da qual é usado falar que é “partidária” – embora seja mais que isso e, algumas vezes, menos que isso – e que corresponde aos movimentos da disputa diária, do ir e vir, dizer e desdizer, pensar e despensar. Não posso falar dela. E nem quero, porque tão pouco se fala da outra que, esta, passa a ser a lacuna e, simultaneamente, a pedra-angular que me incomoda, por

Heranças à esquerda

Resolvi chamar esse conjunto de reflexões de Heranças à Esquerda. À esquerda porque o essencial de tudo o que vivenciei nestes dois últimos anos, transformado em reflexão pessoal, pode ser resumido no debate sobre qual é o papel da esquerda na sociedade contemporânea, quais são seus atuais grandes embates e, muito especificamente, sobre seu papel no Pará e na Amazônia. E heranças porque se trata, na verdade, de um fragmentário de conceitos a serem debatidos, revistos, reformulados, reordenados de acordo com as possibilidades e necessidades concretas de fazermos as coisas andarem.

Política e preguiça 3

Creio que se pode chamar a isto de “razões da política”, ou motivações da política – que bem diferentes são das razões e motivações do Estado. Vou começar a postar aqui um pouco do que tenho anotado, escrito e discutido com alguns amigos.

Política e preguiça 3

Creio que se pode chamar a isto de “razões da política”, ou motivações da política – que bem diferentes são das razões e motivações do Estado. Vou começar a postar aqui um pouco do que tenho anotado, escrito e discutido com alguns amigos.

Política e preguiça 2

Essa conjunção de elementos, na verdade, vem ocorrendo desde que deixei a Secom. Estou absorto entre livros e filmes, mas a fundo, mais a fundo, processando a experiência de dois anos no olho do furacão político. Tomado por uma profunda vontade de descansar, surgem, no entanto, os fantasmas dessa experiência. Um pouco do que venho escrevendo neste blog resulta disso, da ambigüidade entre ter tempo para gastar e, ao mesmo tempo, ir lendo à esmo, organizando livros, meu espaço de leitura, os arquivos do computador, ir escrevendo sobre coisas diversas e ir pensando no futuro. Percebo que a diferença entre esta etapa do blog e o que aqui botava há dois anos atrás consiste no advento de uma cristalização maior de meus interesses e, sobretudo, de minha disposição para dialogar e discutir temas que, embora estivessem no horizonte do meu trabalho, sempre ficaram a segundo plano.

Política e preguiça 2

Essa conjunção de elementos, na verdade, vem ocorrendo desde que deixei a Secom. Estou absorto entre livros e filmes, mas a fundo, mais a fundo, processando a experiência de dois anos no olho do furacão político. Tomado por uma profunda vontade de descansar, surgem, no entanto, os fantasmas dessa experiência. Um pouco do que venho escrevendo neste blog resulta disso, da ambigüidade entre ter tempo para gastar e, ao mesmo tempo, ir lendo à esmo, organizando livros, meu espaço de leitura, os arquivos do computador, ir escrevendo sobre coisas diversas e ir pensando no futuro. Percebo que a diferença entre esta etapa do blog e o que aqui botava há dois anos atrás consiste no advento de uma cristalização maior de meus interesses e, sobretudo, de minha disposição para dialogar e discutir temas que, embora estivessem no horizonte do meu trabalho, sempre ficaram a segundo plano.

Política e preguiça 1

A conjunção desses dois elementos se deve à uma outra conjunção, embora não de um espelho com uma enciclopédia, como a que revelou Tlön a Borges, mas sim à conjunção entre o burocrático desvelar de minha colaboração atual ao Estado e a humana necessidade de ter um pouco de tempo para gastar à esmo, sem objetivos finalísticos precisos, sem planos de leitura ou escritura acordados com o CNPq, sem razões de Estado a incomodar e a zunir, como cabas superexcitadas que rodam em círculos em torno de nós. Tomei a decisão de me permitir as férias programadas inicialmente para julho e, de férias, ler por prazer, escrever por prazer, ver um excesso comprometedor de filmes e tentar dar um jeito na falta de racionalidade da J, cachorra que minha filha, sem consentimento meu, trouxe para casa.

Política e preguiça 1

A conjunção desses dois elementos se deve à uma outra conjunção, embora não de um espelho com uma enciclopédia, como a que revelou Tlön a Borges, mas sim à conjunção entre o burocrático desvelar de minha colaboração atual ao Estado e a humana necessidade de ter um pouco de tempo para gastar à esmo, sem objetivos finalísticos precisos, sem planos de leitura ou escritura acordados com o CNPq, sem razões de Estado a incomodar e a zunir, como cabas superexcitadas que rodam em círculos em torno de nós. Tomei a decisão de me permitir as férias programadas inicialmente para julho e, de férias, ler por prazer, escrever por prazer, ver um excesso comprometedor de filmes e tentar dar um jeito na falta de racionalidade da J, cachorra que minha filha, sem consentimento meu, trouxe para casa.

Schwundgelden hoje

Abaixo, sobre um mapa da Alemanha, a indicação dos locais onde há Schwundgelden em uso.

Alemão em gotas 2

O gênero humano paraense não tem a palavra, mas tem a noção. Refiro-me a schadefreude , palavrinha enigmática do alemão que, se for traduzida ao pé da letra, vai dar algo como “aquele prazer absoluto e tremulante que se apossa do nosso corpo quando aquele nosso desafeto (aquele fdp, desgraçado e canalha!) se dá muito, muito mal, mas muito mal mesmo!” . Ok, sempre é difícil traduzir o alemão, ok. Mas .... quer dizer isso mesmo. Kraus, um amigo alemão que já perdeu completamente a noção de suas origens e que hoje pratica contravensões leves por prazer, consultado por telefone, propõe uma tradução mais concisa: “aquela alegria que nós sentimos quando descobrimos que nosso desafeto se fodeu bo-ni-ta-men-te”. E não me digam, se paraenses forem, que não a compreendem. Aliás, não entendo como os paraenses não inventaram antes uma palavra para expressar essa sensação, deixando-a a cargo dos alemães, povo incapaz de fazer mal a carapanãs, como todos sabemos, e que em razão de sua docilidade,

Alemão em gotas 1

Com mais tempo para habitar minha biblioteca, retomei hoje meus estudos de alemão. Virá em gotas, uma boa palavra por dia. Seja porque é necessário aproveitar com paciência a prolixidade dessa língua, seja porque é instrumental aprendê-la com parcimônia, para não permitir a nosso espírito a indulgência do excesso.

comunicação 2.0

A internet pode ser colaborativa, imediata, politizada e de alta conectividade. O uso que está sendo feito das redes sociais e dos “meios wiki” (colaborativos) ultrapassa completamente expectativa que tradicionalmente temos dos meios de informação de massa e a própria palavra comunicação perde o sentido que antes tinha e caminha na direção de uma autoredefinição no estilo das noções de web 2.0 e similares. O que seria a comunicação 2.0? Podemos conceituar essa transformação em dois níveis: enquanto aparato tecnológico composto por ferramentas que permitem uma funcionalidade e uma criatividade maior dos narradores; por outro lado, também uma nova cultura de interação, que reordena as expectativas políticas tradicionais. Em termos históricos, a primeira vivência social expontânea dessa alta conectividade em torno de um evento social e político maior foi o que aconteceu no ano passado, por ocasião dos atentados de Mumbai. Centenas de pessoas comuns, com suas câmeras digitais, celulares,

Apadrinhar palavras

"Apadrina una palabra en peligro de extinción" é uma campanha que já salvou do esquecimento 22 mil palavras, desde 2007. É movida pela Escola de Escritores de Madri e pelo Ateneo Barcelonês. Essas instituições disponibilizam uma reserva de palvras abandonadas e infelizes para internautas que se disponham a utilizá-las com freqüência em seu vocabulário. Em abril último foi feito um multirão salva-palavras que, sozinho, trouxe 21.632 novos padrinhos de 69 países, os quais adotaram 7.120 palavras em espanhol e 3.896 em catalão.

Facebook banido do Irã

O Facebook foi banido no Irã: Solução da cyber guerrilha: bypassar o controle governamental usando open proxies.

Cyber guerrilha: TOR

O Tor é um freeware de open network que ajuda na defesa contra a vigilância eletrônica. Centralmente, desvia os protocolos de análise de tráfego na internet. Ajuda a prevenir a espionagem de nossos conteúdos e de nosso fluxo de tráfego. Não resolve tudo, mas ajuda muito. Pois bem: eis a planilha que demonsra o crescimento do número de pessoas que baixaram o Tor, no Irã, nos últimos dias: Ou seja, o histograma de descidas do Tor, no Irã passou de 150 por dia para 1.000 por dia, um aumento de 667% em uma semana...

Cyber guerrilha: TOR

O Tor é um freeware de open network que ajuda na defesa contra a vigilância eletrônica. Centralmente, desvia os protocolos de análise de tráfego na internet. Ajuda a prevenir a espionagem de nossos conteúdos e de nosso fluxo de tráfego. Não resolve tudo, mas ajuda muito. Pois bem: eis a planilha que demonsra o crescimento do número de pessoas que baixaram o Tor, no Irã, nos últimos dias: Ou seja, o histograma de descidas do Tor, no Irã passou de 150 por dia para 1.000 por dia, um aumento de 667% em uma semana...

Islã

Enquanto faziamos o doutoramento minha mulher e eu nos deixamos contagiar, de alguma forma, pela história e pela cultura fabulosa do islã. Uma história e uma cultura extremamente ricas, pontuadas por um espírito de civilização, por uma riqueza de detalhamento, cuidado, zelo e, também, por uma fé e uma sensualidade raras. Para muito, muito longe dos estereótipos e da ignorância com que o islã é percebido no Ocidente mas, muito particularmente, pelos brasileiros. E isso é curioso. Em Paris, não se podia convidar um brasileiro para tomar um chá de menta na mesquita da cidade que logo nos olhavam com uma cara de espanto, como se houvesse ali um risco maior que o de entalamento por prazer de comer. Em Belém, a mesma coisa e os mesmos riscos. Uma cultura formada pelo Jornal Nacional e símios televisivos do mesmo filo e chordada, que noticiam o islã com uma tal alteridade que torna impossível qualquer generosidade. A intolerância compacente e a mesma alteridade com que a Rede Globo trata o No

Islã

Enquanto faziamos o doutoramento minha mulher e eu nos deixamos contagiar, de alguma forma, pela história e pela cultura fabulosa do islã. Uma história e uma cultura extremamente ricas, pontuadas por um espírito de civilização, por uma riqueza de detalhamento, cuidado, zelo e, também, por uma fé e uma sensualidade raras. Para muito, muito longe dos estereótipos e da ignorância com que o islã é percebido no Ocidente mas, muito particularmente, pelos brasileiros. E isso é curioso. Em Paris, não se podia convidar um brasileiro para tomar um chá de menta na mesquita da cidade que logo nos olhavam com uma cara de espanto, como se houvesse ali um risco maior que o de entalamento por prazer de comer. Em Belém, a mesma coisa e os mesmos riscos. Uma cultura formada pelo Jornal Nacional e símios televisivos do mesmo filo e chordada, que noticiam o islã com uma tal alteridade que torna impossível qualquer generosidade. A intolerância compacente e a mesma alteridade com que a Rede Globo trata o N

Fragmentos de uma cyberwar twitterizada 2

4:15 - "large groups" of people were gathering in Tehran's Revolution Square 4:17 - People going to Enghelab in larg numbers and growing rapidly. police there but not doing anything 4:20 - azadi and enghelab packed with protesters (and plain-clothed, armed militia) 4:30 - Riot police and Revolutionary Guards(basidj) attacked people with batone 4:40 - They have used tear gases to disperse crowds. People are fleeing into Laleh Park. 4:50 - we can see Marksmans in ferdosi square! 4:55 - protesters are appealing to the police to join them! 4:57 - The police asked people before the basijis conflict with them Became dispersed,Police guard are all the streets of Tehran. Streets full of the population! 5:00 - basij blocking madani and dastgheyb st. tear gas in shahid rezaee. again basij without uniform among people 5:02 - special guards confronted with people, attacked them with batton dispersed them into small ally ways 5:10 -Thousands of people attempting to enter Tehran protes

Fragmentos de uma cyberwar twitterizada 2

4:15 - "large groups" of people were gathering in Tehran's Revolution Square 4:17 - People going to Enghelab in larg numbers and growing rapidly. police there but not doing anything 4:20 - azadi and enghelab packed with protesters (and plain-clothed, armed militia) 4:30 - Riot police and Revolutionary Guards(basidj) attacked people with batone 4:40 - They have used tear gases to disperse crowds. People are fleeing into Laleh Park. 4:50 - we can see Marksmans in ferdosi square! 4:55 - protesters are appealing to the police to join them! 4:57 - The police asked people before the basijis conflict with them Became dispersed,Police guard are all the streets of Tehran. Streets full of the population! 5:00 - basij blocking madani and dastgheyb st. tear gas in shahid rezaee. again basij without uniform among people 5:02 - special guards confronted with people, attacked them with batton dispersed them into small ally ways 5:10 -Thousands of people attempting to enter Teh

O Irã hoje 2

O Irã hoje 2

Fragmentos de uma cyberwar twitterizada 1

davepaye: Take down Iran’s UN website: http://tinyurl.com/n75ml4 (expand) Support Freedom! #DDOS #iranelection StopAhmadi: “I am reading tweets from ppl that most likely just want to spread misinformation. Plz easy w/ RT’ing those. #iranelection” xxx My twitter was hacked. am back in again. they are shutting down all internet services. #Iranelection zerodamage: There’s a bit of a cyber war taking place in Iran right now. People are using xxxx.com with 1 second refreshes to DDOS. #iranelection @nzanjani: help crash iran’s leading hardline newspaper! click http://tinyurl.com/nlkkxu and leave open! #iranelection DDoS 4 freedom #iranelection Web-based DDoS of www.ahmadinejad.ir not a great idea if you still want there to be net for tweets out of Iran JukesDen: Many Gov agents spreading FEAR here! Want to help? STOP RTing FEAR MESSAGES!!! ITS A REVOLUTION, PEOPLE KNOW THE RISK!! RT RT#IranElection IranFreedom3: RT IRAN-RT IRAN-saw 7/8 militia beating one woman with baton on ground - she had

Fragmentos de uma cyberwar twitterizada 1

davepaye: Take down Iran’s UN website: http://tinyurl.com/n75ml4 (expand) Support Freedom! #DDOS #iranelection StopAhmadi: “I am reading tweets from ppl that most likely just want to spread misinformation. Plz easy w/ RT’ing those. #iranelection” xxx My twitter was hacked. am back in again. they are shutting down all internet services. #Iranelection zerodamage: There’s a bit of a cyber war taking place in Iran right now. People are using xxxx.com with 1 second refreshes to DDOS. #iranelection @nzanjani: help crash iran’s leading hardline newspaper! click http://tinyurl.com/nlkkxu and leave open! #iranelection DDoS 4 freedom #iranelection Web-based DDoS of www.ahmadinejad.ir not a great idea if you still want there to be net for tweets out of Iran JukesDen: Many Gov agents spreading FEAR here! Want to help? STOP RTing FEAR MESSAGES!!! ITS A REVOLUTION, PEOPLE KNOW THE RISK!! RT RT#IranElection IranFreedom3: RT IRAN-RT IRAN-saw 7/8 militia beating one woman with baton on ground -

O Irã hoje 1

Evangelhos...

Fui ontem à missa de aniversário de minha amiga Edilza Fontes. Aos que acompanham a cena política paraense não deverá ter passado desapercebido o trecho escolhido para a primeira leitura da celebração. Foi Gênesis 13,2 5-18, que relata a separação entre os rebanhos de Abraão e Lot. Eram ambos ricos em ovelhas, pratas e ouro, e tinham muitos pastores cada um. A terra foi ficando escassa para tantos animais e isso começou a motivar atritos entre os pastores de cada lado. Então Abraão disse a Lot que eram irmãos, e não deviam brigar, porém era necessário que se separassem. “Se fores para a direita eu irei para a esquerda, e se fores para a esquerda eu irei para a direita”, disse Abraão, bem ao estilo retórico da Bíblia. Lot olhou para todos os lados e escolheu os campos mais férteis e aparentemente mais fáceis, às margens do rio Jordão. E foi se instalar aos pés das cidades de ...Sodoma e Gomorra. Bom, todos sabemos o que vai acontecer mais tarde. Já Abraão foi se instalar na região que s

cyberwar guide for beginners

Este post espelha o texto de Esko Reinikainen sobre como participar da cyberwar no Iran. The purpose of this guide is to help you participate constructively in the Iranian election protests through twitter. 1. Do NOT publicise proxy IP’s over twitter, and especially not using the #iranelection hashtag. Security forces are monitoring this hashtag, and the moment they identify a proxy IP they will block it in Iran . If you are creating new proxies for the Iranian bloggers, DM them to @stopAhmadi or @iran09 and they will distributed them discretely to bloggers in Iran . 2. Hashtags, the only two legitimate hashtags being used by bloggers in Iran are #iranelection and #gr88, other hashtag ideas run the risk of diluting the conversation. 3. Keep you bull$hit filter up! Security forces are now setting up twitter accounts to spread disinformation by posing as Iranian protesters. Please don’t retweet impetuosly, try to confirm information with reliable sources before retweeting.

cyberwar guide for beginners

Este post espelha o texto de Esko Reinikainen sobre como participar da cyberwar no Iran. The purpose of this guide is to help you participate constructively in the Iranian election protests through twitter. 1. Do NOT publicise proxy IP’s over twitter, and especially not using the #iranelection hashtag. Security forces are monitoring this hashtag, and the moment they identify a proxy IP they will block it in Iran . If you are creating new proxies for the Iranian bloggers, DM them to @stopAhmadi or @iran09 and they will distributed them discretely to bloggers in Iran . 2. Hashtags, the only two legitimate hashtags being used by bloggers in Iran are #iranelection and #gr88, other hashtag ideas run the risk of diluting the conversation. 3. Keep you bull$hit filter up! Security forces are now setting up twitter accounts to spread disinformation by posing as Iranian protesters. Please don’t retweet impetuosly, try to confirm information with reliable sources before retweet

#iranelection

Um hashtag é uma palavra precedida por um #. Serve para etiquetar os temas, falicitando a busca. Os milhões de posts, mensagens, imagens, twitters, vídeos que estão cruzando o planeta, a cada dia, discutindo a situação do Irã, estão, neste momento, sendo unificadas pelo hashtag #iranelection. Coloquem esse código no Youtube, Orkut, Facbook, Flickr e vejam o que acontece.

#iranelection

Um hashtag é uma palavra precedida por um #. Serve para etiquetar os temas, falicitando a busca. Os milhões de posts, mensagens, imagens, twitters, vídeos que estão cruzando o planeta, a cada dia, discutindo a situação do Irã, estão, neste momento, sendo unificadas pelo hashtag #iranelection. Coloquem esse código no Youtube, Orkut, Facbook, Flickr e vejam o que acontece.

Ciberativismo 2

Então o que posso dizer a essa pobre alma que indaga sobre o que tem a haver com tudo isso é que, se ele não sabe, não o saberei eu e nem o saberemos nós. Nada temos a haver, necessariamente, aprioristicamente, ao que acontece no Irã. Mas, se as notícias do que lá está havendo nos chegam creio que sim, temos algos a haver com isso. Portanto, as manifestações no Irã são, também, uma experiência nossa. E, para além disso, se temos meios de informação que podem ser e que estão sendo usados como meios de participação nesses acontecimentos, e se temos vontade de perticipar dessas acontecimemntos por esses meios, então o evento se torna, ainda mais, pois também em outro plano, uma experiência nossa.

Ciberativismo 2

Então o que posso dizer a essa pobre alma que indaga sobre o que tem a haver com tudo isso é que, se ele não sabe, não o saberei eu e nem o saberemos nós. Nada temos a haver, necessariamente, aprioristicamente, ao que acontece no Irã. Mas, se as notícias do que lá está havendo nos chegam creio que sim, temos algos a haver com isso. Portanto, as manifestações no Irã são, também, uma experiência nossa. E, para além disso, se temos meios de informação que podem ser e que estão sendo usados como meios de participação nesses acontecimentos, e se temos vontade de perticipar dessas acontecimemntos por esses meios, então o evento se torna, ainda mais, pois também em outro plano, uma experiência nossa.

Ciberativismo

Na caixa de comentários do post Irã: Desobediência Civil alguém como que se perguntava “e que eu tenho a ver com isso?”. Não posso deixar de registrar minhas impressões a respeito: o que está acontecendo no Irã extrapola a revolta popular contra uma eleição provavelmente fraudulenta. Extrapola ainda as reinvindicações paralelas, pelo direito das mulheres, da liberdade de crença, de expressão, de comunicação. E também extrapola a demonstração popular de que se deseja, no Irã, uma reversão do regime dos mullahs. E a tanto extrapolando, extrapola também às identidades nacionais e nos coloca humanos como eles e a um passo deles. Os acontecimentos no Irã, potencializados como estão sendo pela guerrilha digital, nos convidam ao engajamento, ao ciberativismo, à cyberwar e nos fazem perceber que as revoluções do futuro, também elas, serão feitas pela internet - ou não serão feitas.

Compasso Político 6

E sobre os diversos candidatos a presidente e a vice, nas últimas eleições americanas:

Compasso Político 6

E sobre os diversos candidatos a presidente e a vice, nas últimas eleições americanas:

Compasso Político 8

E até os grandes compositores tiveram vez. Olhem só, Wagner nunca enganou ninguém.

Compasso Político 8

E até os grandes compositores tiveram vez. Olhem só, Wagner nunca enganou ninguém.

Compasso Político 7

E, o que é muito legal, projeta o teste sobre os anos recentes da história britânica, conforme os fatos marcantes e as respostas sociais dadas, bem como de acordo com o partido que ocupava o poder, nesse momento. O resultado é seguinte: Sim, sim, é verdade, os Trabalhistas "vestiram a roupa do avesso".

Compasso Político 7

E, o que é muito legal, projeta o teste sobre os anos recentes da história britânica, conforme os fatos marcantes e as respostas sociais dadas, bem como de acordo com o partido que ocupava o poder, nesse momento. O resultado é seguinte: Sim, sim, é verdade, os Trabalhistas "vestiram a roupa do avesso".

Compasso Político 5

E também projeta sobre os diversos países da Comunidade Européia, conforme suas legislações:

Compasso Político 5

E também projeta sobre os diversos países da Comunidade Européia, conforme suas legislações:

Compasso Político 4

O site vai além. Projeta uma série de dirigentes políticos. O resultado é o seguinte:

Compasso Político 4

O site vai além. Projeta uma série de dirigentes políticos. O resultado é o seguinte:

Compasso Político 3

Fiz o questionário e o resultado foi o seguinte: Economic Left/Right: -6.88 Social Libertarian/Authoritarian: -7.23 Projetado no gradiente, sou um esquerdista-libertário. Ou seja, mais à esquerda e mais libertário do que Mahatma Gandhi, do que Nelson Mandela e do que o Dalai Lama. Uau!

Compasso Político 3

Fiz o questionário e o resultado foi o seguinte: Economic Left/Right: -6.88 Social Libertarian/Authoritarian: -7.23 Projetado no gradiente, sou um esquerdista-libertário. Ou seja, mais à esquerda e mais libertário do que Mahatma Gandhi, do que Nelson Mandela e do que o Dalai Lama. Uau!

Compasso Político 2

O legal é que o questionário passado pode ser aplicado a figuras históricas, segundo o posicionamento delas em relação às mesmas questões. Assim, o site mostra, a título de ilustração, um quadro como este:

Compasso Político 2

O legal é que o questionário passado pode ser aplicado a figuras históricas, segundo o posicionamento delas em relação às mesmas questões. Assim, o site mostra, a título de ilustração, um quadro como este:

Compasso Político

Descobri um site bem interessante chamado Political Compass http://www.politicalcompass.org/test . Através de um teste online ele atribui valores para nosso posicionamento político, numa escala de dois eixos: esquerda-direita e libertário-autoritário. O primeiro eixo está centrado em valores basicamente econômicos e o segundo em valores do campo social. Quatro quadrantes se formam, como no quadro abaixo:

Compasso Político

Descobri um site bem interessante chamado Political Compass http://www.politicalcompass.org/test . Através de um teste online ele atribui valores para nosso posicionamento político, numa escala de dois eixos: esquerda-direita e libertário-autoritário. O primeiro eixo está centrado em valores basicamente econômicos e o segundo em valores do campo social. Quatro quadrantes se formam, como no quadro abaixo:

Pelo diploma 5

E para que não venham rebater meus argumentos com a eterna repetição das mesmas frases feitas sobre competência técnica como critério preponderante, quero deixar claro o seguinte: penso que todo curso de comunicação precisa desenvolver sua prática laboratorial, bem como as competências técnicas dos seus alunos e que a troca com o mercado é fundamental. Mas não concordo que isso deve constituir o critério dominante de um curso de comunicação e nem que a obrigatoriedade do diploma seja questionada em função de uma atribuição axiológica sobre competência técnica.