Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2016

Então tá: condenação por "convicção", sem provas

Ontem o juiz Moro acatou a denúncia do Ministério Público Federal contra Lula. A base da sua decisão foram as teses apresentadas sem provas: Tese 1: A entrega do apartamento 164-A do Edifício Solaris seria a vantagem indevida que Lula teria recebido como parte do acerto de propinas. Pretensa prova: o depoimento de funcionários do edifício afirmando que a família de Lula visitou o prédio durante as obras. O que fica sem provas: a tese de que houve ocultação de patrimônio. Tese 2: Quatro ex-diretores da Petrobrás já foram condenados criminalmente por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, todos com contas secretas no exterior pelas quais transitaram milhões de dólares ou euros. Lula seria o chefe do esquema e recebeu em pagamento a reforma do tal apartamento no Guarujá. Em síntese: a propina do chefe foi somente a reforma e a propina dos subordinados milhões e milhões e milhões de dinheiros. Pretensa prova: a livre associação, feita pelos “cérebros” do MPF e de

Vergonha alheia do Ministério Público Federal: temos convicção, mas não temos provas.

Estou impressionado com o fanatismo politico do Ministério Público. Chegou-se ao nível de produzir um espetáculo que deveria ser a culminância da operação Lava Jato e se comete o mais primário dos erros: não apresentam uma única prova contra Lula. No lugar de provas, uma verborragia histérica e ideológica, uma retórica adjetiva pautada pelo ódio. E tudo isso tendo por astro principal um rapazinho gaguejante conhecido pelo fanatismo religioso. O desfecho foi pífio. Um tiro no pé da direita   dos golpistas. Os tempos são de cólera e de deslimite do bom senso. Procuradores do MPF, juízes e ministros do STF francamente partidarizados se prestando a um show politico estilo Faustão que tem por único objetivo abastecer a mídia golpista de bla-bla-blá e, assim, disseminar o ódio e a intolerância contra Lula e o PT. Jeferson Miola apresentou, no blog do Miro , um raciocínio interessante:   De acordo com os argumentos do juizote escalado para o show, Lula seria o “chefe da qua

Hoje: Mesa de abertura da Caldeirada Cultural

Amanhã começa a Caldeirada Comunicação e Cultura, promovida pela Faculdade de Comunicação por meio do projeto Facom 4.0: ação coletiva por uma nova cultura de comunicação, projeto coordenado pelas professoras  Rosaly Brito  e  Rosane Albino Steinbrenner , da Facom e do Ppgcom, com apoio de vários alunos da Facom.  Participo da mesa de abertura, às 18h, juntamente com dois colegas queridos da UFPA: os professores Kátia Mendonça e Maurício Rodrigues de Souza.

Quando os zumbis da classe média começam a dizer #ForaTemer e #DiretasJá

Muita coisa pode e vai acontecer, mas há uma probabilidade imensa de que o “governo” Temer não dure os restantes 24 meses que afanou de Dilma. A onda do Fora Temer está crescendo e os golpistas estão dando mostras cabais de que estão cada vez mais incomodados de serem chamados do que são: golpistas. Quando uma cidade conservadora, das mais conservadoras e miseravelmente direitistas do pais, Florianópolis, vem às ruas em massa para pedir a queda do governo usurpador tem-se um sinal de que os enfrentamentos do usurpador são bem maiores do que os que o PT ou a frente de esquerda lhe apresenta. O que aconteceu em Florianópolis é sinal de que os zumbis da classe média, que não entendem muito de política e que, sobretudo, não percebem como são manipulados pela mídia e pelos discursos de ódio, começam a mudar de lado e, em vez de gritar Fora Dilma, passam a gritar, muito empolgados, que Fora Temer! Em síntese: tem gente de direita dizendo Fora Temer. É claro que a leveza ideológi

Lançado o Edital do mestrado e doutorado do Naea

Foi lançado do Edital de Seleção para o mestrado e o doutorado do Naea,  o Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, da UFPA.  As inscrições iniciam dia 26 de setembro de 2016 e a seleção será durante o mês de novembro de 2016. Em junho último ingressei no corpo de professores do Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido, no Naea, o que é para mim é uma honra; já fui aluno do Programa, pois comecei lá meu doutorado, antes de ir para a França. Bom, caso tenham interesse, então, estou lá no Edital, com uma vaga de doutorado e uma ou duas de mestrado. Estou na linha de pesquisa Estado, Instituições, Planejamento e Políticas Públicas, que tem a seguinte ementa: " Os impactos das alterações institucionais econômico-sociais são interpretados nesta linha de pesquisa a partir de um esforço de integração metodológica, permitindo que tanto estudos históricos quanto temas atuais tenham uma abordagem interdisciplinar" . O Edital do Naea pode ser ac

Outro artigo publicado: Le discours politique de Dilma Rousseff et les fantômes de Lula: Étude sur l'intersubjectivité dans la politique

Em plena época de #ForaTemer! fico contente de publicar um artigo falando de Dilma e de Lula: "O discurso político de Dilma Roussef e os fantasmas de Lula: Estudo sobre a intersubjetividade em política". Nele, procuro compreender os agenciamentos presentes no tecido intersubjetivo dos discursos público da Presidenta Dilma no primeiro ano de seu primeiro governo. Lula, o PT, o petismo, as causas e bandeiras da esquerda brasileira são pensados como vozes e agências de sentido que conformam uma intersubjetividade presente na fala pública de Dilma. Schutz, com o conceito de intersubjetividade; Cooeren, com o de ventriloquia e de agenciamento e Derrida, com a noção de indecidível, me ajudam nesse trabalho.  Foi publicado na revista Linguagem em Discurso, da Unisul. O artigo está em francês, mas prometo tentar uma tradução. Segue o resumo e o link no Academia.edu: Le discours politique de Dilma Rousseff et de fantômes de Lula: Étude sur l'intersubjectivité dans la polit

A hora é de criar dispositivos de resistência.

Impressionante a letargia das universidades públicas neste momento de crise. Estamos diante de um efetivo rompimento da democracia, na iminência de um processo de repressão e num momento de reversão das conquistas sociais iniciadas com a Constituição de 1988 e quase ninguém se manifesta. Sei que todos temos muito a fazer, que a pesquisa tem hora certa, que os formulários a preencher são vários e as reuniões de colegiado são intermináveis, mas a hora é de criar dispositivos de resistência. Precisamos escrever panfletos, queimar uns pneus e falar de política. A hora é de ir para a rua. Depois a gente volta. Foto: Mídia Ninja

Meu novo artigo: Mercado, política e cultura na “baixa” Amazônia: circuitos longos e curtos

A revista Comunicação Mídia e Consumo, da Escola Superior de Propaganda e Marketing, de São Paulo, editada pelos Profs Denise Cogo e Vander Casaqui, publicou seu novo número. A edição traz um artigo meu, entitulado Mercado, política e cultura na “baixa” Amazônia: circuitos longos e curtos. Para quem se interessar, segue o link para o artigo e, aqui, o link para a edição completa da revista .  Mercado, política e cultura na “baixa” Amazônia: circuitos longos e curtos. Fábio Fonseca de Castro Resumo : O artigo discute os circuitos culturais presentes no espaço da “baixa” Amazônia – a área de ocupação ocidental mais consolidada da região – ten- do por referência três grupos populacionais, compreendidos enquanto trajetórias sociais, que se diferenciam, entre si, por seu modo de ocupação econômica e cul- tural do espaço. Observa-se como duas dessas trajetórias sociais participam mais ativamente dos circuitos culturais, enquanto a terceira mostra-se mais reservada em relação a