Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2010

Os melhores infográficos 1

O infográfico acima foi criado por  Michael Paukner para ilustrar como os antigos hebreus concebiam o universo. Em síntese, uma esfera cercada de água onde se superpunham três planos: céu, terra e inferno. Mais aqui .

A comunicação também derrotada no PNDH-3

Todos lamentamos a derrota governista no que se refere aos avanços propostos pelo 3º PNDH. Porém, para manter as tradições do blog, devemos fazer um lamento especial para as derrotas sofridas pelo campo da comunicação. A Diretriz 22 do PNDH3 tratava da comunicação. O texto original dizia o seguinte: Diretriz 22: Garantia do direito à comunicação democrática e ao acesso à informação para consolidação de uma cultura em Direitos Humanos. Objetivo Estratégico I: Promover o respeito aos Direitos Humanos nos meios de comunicação e o cumprimento de seu papel na promoção da cultura em Direitos Humanos. Ações Programáticas: Era assim: a) Propor a criação de marco legal regulamentando o art. 221 da Constituição, estabelecendo o respeito aos Direitos Humanos nos serviços de radiodifusão (rádio e televisão) concedidos, permitidos ou autorizados, como condição para sua outorga e renovação, prevendo penalidades administrativas como advertência, multa, suspensão da programação e cassaçã

Retratos econômicos interessantes: O modelo de comércio internacional de Santa Catarina

O estado de Santa Catarina tem quatro portos em operação, numa costa de 562 km , e está construindo seu quinto terminal. No ano de 2009, o estado exportou US$ 6,4 bilhões, por meio desses quatro portos, e importou US$ 7,2 bilhões. Em 2007 o volume importado representou US$ 5 bilhões. Um aumento de cerca de 30% em dois anos, também presente no volume de exportações. Em sete anos, o comércio exterior de SC cresceu 632%, enquanto o crescimento do país inteiro, nesse setor, foi de 170% Esse aumento se deu por um motivo: um programa do governo para maximizar o potencial de infra-estrutura já existente no estado associando a redução de impostos com a geração de empregos. A receita é a seguinte: agilidade no desembaraço nas mercadorias no porto e as taxas mais baixas em relação aos Estados concorrentes. No porto de Santos (SP), a média do desembaraço é de 15 dias. Nos portos de SC, é de apenas 4. Outro mecanismo criado pelo estado é o programa de isenção fiscal chamado Pró-Emprego. O programa

Diferença salarial entre pós-graduados e graduados passou para 70%

Um cálculo feito por Naercio Menezes Filho, coordenador do Centro de Políticas Públicas do Insper, para o Valor: Em 1992, as pessoas que completavam o ensino médio ganhavam em média 80% a mais do que as que terminavam somente o primeiro ciclo do ensino fundamental. Hoje em dia elas recebem 60% mais. Isso aconteceu porque, em 1992, para cada duas pessoas que abandonavam os estudos na 4ª série, uma concluía o ensino médio. Com relação ao ensino superior, o seu diferencial de salários com relação aos concluintes do ensino médio era de 120% em 1992, aumentou para 160% em 2002 e declinou nos últimos 6 anos, até atingir 150% em 2008. Isto aconteceu porque a razão entre concluintes do ensino médio e do superior cresceu de 2,6 para 3,4 entre 1992 e 2002, mas declinou para 3,2 em 2008. Ou seja, devido ao alto retorno do ensino superior, mais jovens entraram na faculdade, o que diminuiu o diferencial de salários. A oferta cresceu mais rápido do que a demanda.  E quanto aos pós-graduados? Este é

Diferença salarial entre pós-graduados e graduados passou para 70%

Um cálculo feito por Naercio Menezes Filho, coordenador do Centro de Políticas Públicas do Insper, para o Valor: Em 1992, as pessoas que completavam o ensino médio ganhavam em média 80% a mais do que as que terminavam somente o primeiro ciclo do ensino fundamental. Hoje em dia elas recebem 60% mais. Isso aconteceu porque, em 1992, para cada duas pessoas que abandonavam os estudos na 4ª série, uma concluía o ensino médio. Com relação ao ensino superior, o seu diferencial de salários com relação aos concluintes do ensino médio era de 120% em 1992, aumentou para 160% em 2002 e declinou nos últimos 6 anos, até atingir 150% em 2008. Isto aconteceu porque a razão entre concluintes do ensino médio e do superior cresceu de 2,6 para 3,4 entre 1992 e 2002, mas declinou para 3,2 em 2008. Ou seja, devido ao alto retorno do ensino superior, mais jovens entraram na faculdade, o que diminuiu o diferencial de salários. A oferta cresceu mais rápido do que a demanda.  E quanto aos pós-graduados? Este

Revista da Famecos on line

Entrou na rede o novo número da Revista Famecos: mídia, cultura e tecnologia , publicada pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação da PUC do Rio Grande do Sul. Todos os artigos estão à disposição para download livre. Destaco o bloco "Barbárie e Tragédia", com os artigos " A barbárie em face do humano: as tribos pós-modernas ", do meu antigo orientador de doutorado, Michel Maffesoli e o artigo " Gyorgy Lukàcs (1885-1971): um marxista trágico ", do professor Patrick Tacussel, que foi membro da minha banca de doutorado.

Lançado edital do mestrado em comunicação

Saiu o Edital de seleção para o curso de mestrado em comunicação. Está aqui , e pode ser baixado na página Idéias do no HupoSite . Fiquem atentos. O calendário é o seguinte: Inscrição no processo : 28 de maio a 23 de junho Divulgação das inscrições homologadas : 25 de junho Avaliação do anteprojeto de pesquisa  (eliminatória e classificatória): 29 de junho a 05 de julho (resultado 06 de julho) Avaliação do currículo Lattes  (eliminatória e classificatória): 09 a 12 de julho (resultado 12 de julho) Prova de proficiência em língua estrangeira  (eliminatória): 15 de julho (resultado 20 de julho) Prova escrita (eliminatória e classificatória): 23 de julho (resultado 27 de julho) Entrevista e defesa do projeto  (classificatória): 30 de julho a 03 de agosto (resultado 04 de agosto) Divulgação da relação dos aprovados: 06 de agosto. As aulas começam em agosto.

Soberania alimentar e agricultura nacional

Reproduzo abaixo o documento Plataforma política para a agricultura brasileira, da Via Campesina. É fundamental compreende-lo e ver pensa-lo à luz dos compromissos de governo e dos programas para a próxima gestão e para os mandatos parlamentares que continuam e iniciam. O documento contém críticas ao modelo vigente no campo e propostas de ação. PLATAFORMA POLÍTICA PARA A AGRICULTURA BRASILEIRA Ao povo brasileiro e às organizações populares do campo e da cidade O atual modelo agrícola imposto ao Brasil pelas forças do capital e das grandes empresas é prejudicial aos interesses do povo. Ele transforma tudo em mercadoria: alimentos, bens da natureza (como água, terra, biodiversidade e sementes.) e se organiza com o único objetivo de aumentar o lucro das grandes empresas, das corporações transnacionais e dos bancos. Nós precisamos urgentemente construir um novo modelo agrícola baseado na busca constante de uma sociedade mais justa e igualitária, que produza suas necessidades em equilíbrio

Um projeto muito legal

Entre 18 e 19h de hoje, sexta, 28 de maio, quem acessar o hot site  www.webtv.pa.gov.br  poderá participar de um diálogo sobre cinema e cineclubismo (online) realizado pelo projeto Inovacine, com o apoio da Prodepa e do Programa NavegaPará. Depois do diálogo online, haverá a exibição do filme “Inimigos públicos”, de Michael Mann, seguida por um debate online. A novidade mesmo, porém, é que tudo isso acontece, realmente, no Infocentro do Pontão de Cultura do Galpão das Artes de Marabá (Gam), com a participação do artista plástico Antônio Botelho, além da presença de membros da Associação Paraense de Jovens Críticos de Cinema. É a terceira transmissão online do Inovacine. As anteriores aconteceram em fevereiro, a partir do Infocentro do Pontão de Cultura Digital do Tapajós, em Santarém). Desde setembro de 2009 o Inovacine já realizou 6 oficinas de cineclubismo, 33 sessões de cinema (18 filmes paraenses, 16 nacionais e 11 estrangeiros) e 3 mostras de cinema (Glauber Rocha – itinerância /

Cultura Viva 1

No embalo da feliz declaração de Lula, vou seguir mostrando os primeiros vídeos da série Cultura Viva, produzida pela TV Vermelho, do PC do B - que, como se sabe, é o melhor site de esquerda do Brasil.

Cultura é gênero de primeira necessidade, diz Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou ontem, durante a cerimônia de reabertura do Theatro Municipal do Rio de Janeiro que a cultura é um “gênero de primeira necessidade” e que por meio dela se constrói uma sociedade mais justa. “O país não pode prescindir de um metro quadrado de espaço cultural, porque é exatamente por meio da cultura que vamos construir uma sociedade mais justa e humanista. A cultura deve ser entendida como gênero de primeira necessidade porque assistir a um espetáculo num local tão maravilhoso e singular, como este teatro, alimenta tudo aquilo que nos é caro: nossos sonhos”, afirmou. No seu discurso, Lula também mencionou programas do governo com objetivo de facilitar o acesso à cultura, como o vale-cultura, e ressaltou as mudanças na Lei Rouanet para a expansão da produção artística no país.

Inscrições abertas para VIII edital Ceará de Cinema e Vídeo

Estão abertas até o dia 25 de junho de 2010 as inscrições para o VIII Prêmio Ceará de Cinema e Vídeo - 2010. O edital disponibiliza R$3 milhões em recursos do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura, para projetos audiovisuais nas categorias de produção (os filmes propriamente ditos em montante de R$ 2.640.000,00), sendo o restante dedicado a estruturação do setor no Ceará (formação e difusão). Os projetos serão divididos em três blocos, sendo o primeiro para Produção audiovisual, com prêmios para Pesquisa/Desenvolvimento de Roteiro para Longa-metragem, Longa Metragem em 35 mm , Curta Metragem em 35 mm , Curta Metragem em Vídeo, Teleconto, TeleDoc e Formatos Alternativos. A ideia é valorizar e incentivar uma produção diversa e que atenda à demanda dos diferentes profissionais do setor. Além dos projetos para produção, serão aceitos projetos voltados à formação (na categoria Estruturação) de profissionais da área, para atender às demandas de produção, pesquisa e d

Heranças à Esquerda 37

Esquerdas Brasileiras 8: O PCB 8 – De 1936 a 1947. De 1936 a 1943 o PCB viveu um momento de refluxo. Após a Intentona, comunistas e tenentistas experimentaram uma perseguição feroz. No caso do PCB, possivelmente a pior de sua história. O núcleo dirigente do partido foi perseguido e parte dele foi exterminado. Porém, mesmo na clandestinidade, o PCB organizou um movimento de solidariedade e defesa da República Espanhola, durante a Guerra Civil. Com a reabertura democrática do país, iniciada em 43, e com o fim do Estado Novo, em 45, o PCB, de volta à legalidade, começou a desenvolver a estratégia de se tornar um partido de massas. O primeiro passo nessa direção foi, na verdade, espontâneo: ao exigir que o Brasil entrasse na guerra contra os fascistas e ao orientar seus militantes a se alistarem na Força Expedicionária Brasileira, o partido ganhou o respeito de boa parte da opinião pública. E mais ainda quando, ao fim da guerra, muitos dos comunistas que se alistaram retornaram com honra

Vanitas

Curioso como, para muitos, as próximas eleições se configuram como um jogo de vaidades. Parece tratar-se do caso da candidatura do deputado Domingos Juvenil, do PMDB, ao governo. Bem como, aliás, o problema essencial da rixa entre os ex-governadores Jatene e Almir Gabriel, no PSDB. E, ainda, as angústias que deve estar vivendo José Priante, que pleitearia a vaga, pelo PMDB, não fosse precisar aguardar a decisão do TRE confirmando a sentença condenatória que cassou o prefeito Duciomar Costa para assumir, eventualmente, sua cadeira. Juvenil pegou carona no descontentamento do seu partido diante da aliança com o PT, entabulada anteontem. Descontentamento de prefeitos e das principais lideranças do partido, que o deputado Jader tentou pacificar. Apressou-se e comunicou sua decisão a JB. Devia tratar-se de uma aspiração antiga e secreta. Priante, o candidato mais provável da legenda, ameaça bater chapa... Um tanto mais curiosa foi a visita de Almir Gabriel, na calada da noite, ao gabinete d

Beatriz Sarlo

Uma matéria sobre Beatriz Sarlo, pesquisadora nos campos dos estudos culturais e da teoria literária e uma das grandes intérpretes da cultura contemporânea argentina. Via Opera Mundi , aqui .

O primeiro infográfico brasileiro, em 1909

Talvez tenha sido o primeiro infográfico criado pela imprensa brasileira. Mostra o crescimento do tráfego marítimo no Brasil. Na edição de 18 de agosto de 1909 de O Estado de São Paulo.

A querela das terras de quilombos

Artigo da prof. Manuela Carneiro da Cunha, sobre as terras de quilombos, publicado na Folha de S. Paulo hoje, às vésperas do debate no STF que pode decidir sobre a sua redução. A querela das terras de quilombos Quem está limitando o acesso às terras a “quem quer produzir” não são os quilombolas, e sim a parte mais atrasada da pecuária Está de volta, como de hábito às vésperas de uma decisão do Supremo Tribunal Federal, uma velha campanha. Segundo seus promotores, as terras que são destinadas a quilombos (desta feita, é delas que o Supremo vai tratar), a índios e a unidades de conservação diminuiriam ainda mais o já pequeno território brasileiro acessível a “quem quer produzir”. Como, entre essas terras subtraídas a “quem quer produzir”, são também contabilizadas as cidades, conclui-se que esses promotores desejam transformar o Brasil numa grande fazenda. Voltaríamos às capitanias hereditárias? Mas olhemos mais de perto. Analisando as áreas de conservação ambiental e as áreas indígenas,

Mapa da ideologia na net

Um mapa da ideologia na web foi publicado no ano passado pelo jornal italiano Il Manifesto. O mapa tem dois eixos (Confiança /Ceticismo e Bem Livre/Mercado), ao redor dos quais estão colocados nove grupos de autores e ativistas.  Em torno desses eixos se fundam as diversas tribos: os Panglossianos ("Tudo na Web é o melhor dos mundos...), os Web-Tribais, os Lisérgicos, onde estão incluídos guias e oráculos como Pierre Levy, os Neo.com, os Fundadores (como Manuel Castells) etc. Coloquei cópia do arquivo do mapa, em PDF, no HupoSite . Ela pode ser aberta aqui .

Heranças à Esquerda 36

Esquerdas Brasileiras 7: O PCB 7 – De 1930 a 1935. No começo dos anos 1930, o PCB teve um papel destacado na reflexão sobre o Brasil. Foi basicamente em torno dele que se organizou a luta antifascista, notadamente em relação ao movimento integralista - Ação Integralista Brasileira, liderada por Plínio Salgado – esse simulacro tropical do fascismo europeu. Pensando francamente o processo social brasileiro, nesse momento pós-revolucionário, o PCB, que já tinha como bandeira a radicalização da democracia, propôs duas novas frentes: a luta contra o imperialismo e a luta contra o latinfúndio. Aos poucos foi se formando uma frente ampla, agregando os setores progressistas da sociedade brasileira. Essa frente, pouco a pouco, tendia a reunir tenentistas, comunistas, socialistas e social-democratas. O impasse econômico do país, marcado pelos efeitos duradouros da crise de 29, somado à desilusão em relação à Constituinte convocada por Vargas, pífia em relação aos ideais tenentistas, além, é cla

Economia da cultura em Hong Kong

Economics of Culture and Creativity  é uma disciplina na Lingnan University (Hong-Kong), ministrada pelo professor Liangliang (Leanne) Jiang. Da descrição da disciplina consta a seguinte informação: "This course applies basic economic and financial theories to study arts, culture and venture capital. It introduces to the students the basics of venture capital industry and several culture industries". Via Indústrias Culturais.

Cartas de Lisboa 3: A cidade onde nada acontece

A cidade onde nada acontece Felipe Horácio-Castro Lisboa, a cidade onde nada acontece. Caminho de madrugada pela rua da Mandragoa. Numa casa de fados acotovelam-se turistas, prostitutas, freaks e chulos. A escala de Mercali não seria suficiente para classificar o volume que punham ao som. Uma portuguesa grandalhona, em contorções admiráveis e com uma rosa na orelha cantava um fado maluco, desses que ora se inventam «para renovar o gênero». E batia palmas, muitas, mais do que musicalmente necessário. Aliás, mais batia palmas que cantava. Os seres humanos ali presentes, porque não se conheciam todos, tocavam-se pelos cotovelos. Era a maneira que tinham de dar um sentido às suas vidas : tocarem-se desastradamente com os cotovelos. Não, nada acontece em Lisboa, desisto de averiguar e continuo meu lento passeio pela madrugada, porque sou insone e é esta a maneira pela qual a natureza me condena à reflexão. - Faz cuidado aos assaltos, diz-me Jacinto, o escritor meu vizinho, Que Lisboa está u
A cidade onde nada acontece Felipe Horácio-Castro Lisboa, a cidade onde nada acontece. Caminho de madrugada pela rua da Mandragoa. Numa casa de fados acotovelam-se turistas, prostitutas, freaks e chulos. A escala de Mercali não seria suficiente para classificar o volume que punham ao som. Uma portuguesa grandalhona, em contorções admiráveis e com uma rosa na orelha cantava um fado maluco, desses que ora se inventam «para renovar o gênero». E batia palmas, muitas, mais do que musicalmente necessário. Aliás, mais batia palmas que cantava. Os seres humanos ali presentes, porque não se conheciam todos, tocavam-se pelos cotovelos. Era a maneira que tinham de dar um sentido às suas vidas : tocarem-se desastradamente com os cotovelos. Não, nada acontece em Lisboa, desisto de averiguar e continuo meu lento passeio pela madrugada, porque sou insone e é esta a maneira pela qual a natureza me condena à reflexão. - Faz cuidado aos assaltos, diz-me Jacinto, o escritor meu vizinho, Que Lisboa está u

Quase que a Namíbia é melhor

Na Amazônia a população rural equivale a 22% da população total. É aí que estão os maiores índices de analfabetismo e de baixa escolaridade. Na verdade, é um fenômeno nacional. Todo o país considerado, na zona urbana a taxa de analfabetismo para pessoas acima de 15 anos é de 7,5%. Na zona rural, esta mesma taxa chega a 23,5%. A população mais escolarizada, com mais de 11 anos de estudo, representa mais de 40% da população urbana e apenas 12,8% da população rural. A maioria da população do campo (73%) sequer completou o ensino fundamental.

Concentração de renda faz do campo brasileiro o segundo pior lugar do mundo para viver

O Índice de concentração de renda nos domicílios rurais brasileiros, segundo o Ipea, é de 0,727 no coeficiente de Gini. É o segundo pior do mundo. Só é menor que o índice Namíbia: 0,743. O que isso quer dizer? Que o modelo concentrador de terras, representado e defendido – de todas as maneiras –pela senadora Kátia Abreu (DEM-TO), provável vice na chapa de José Serra (PSDB-SP), é um dos principais motivos do atraso brasileiro. O índice de Gini do campo brasileiro só não é pior, justamente, por causa dos assentamentos e do apoio à agricultura familiar, políticas públicas ampliadas expressivamente no governo Lula. E olhem que isso não é pouco. O mundo rural brasileiro é formado por 30 milhões de pessoas. Se fosse um país, seria 40ª maior população do planeta. Na América do Sul, em população, só ficaria atrás do Brasil e da Argentina. Mas o dado mais chocante é exatamente esse: o campo brasileiro, se fosse um país, seria o segundo pior do mundo para se viver, em termos de desigualdade soci

Inaugurada a TV Brasil Internacional

Outro feito de Lula, ontem, foi o lançamento da TV Brasil Internacional.  A emissora começa alcançando 49 países africanos e brevemente alcançará toda a América Latina, depois o Japão e, em seguida a Europa. No seu discurso, ontem, Lula lembrou que muitos não acreditavam que seria possível ter uma TV pública brasileira, mesmo dentro do governo, mas a consolidação da TV Brasil prova que eles estavam enganados. E criticou quem pensou que ela seria usada para falar bem do seu governo. “Eu não queria uma televisão para falar bem do Lula, eu queria uma televisão para falar bem desse país”, disse. O ministro Franklin Martins (Comunicação Social) também lembrou em seu discurso os críticos que afirmavam que a TV Brasil seria usada como instrumento de propaganda. “O debate a esse respeito já avançou, a maioria já não diz isso”, afirmou, elogiando a maturidade da TV Brasil, que tem inovado nas contratações, parcerias e organização de sua grade de programação. Segundo Franklin, a quantidade de no